LEITORES

 
6 de abril 2017 - às 15:35

VIVA AS MULHERES ANGOLANAS!

 

Assinalamos o Março o mês dedicado às mulheres de todo mundo. Em Angola realizaram-se várias actividades com cariz diferente e a vontade foi para reafirmar o quanto se faz no País para a dignificação da mulher angolana onde é de salientar a igualdade do género que se realiza sem complexos.

Preocupa-me no entanto os índices de violência contra a mulher que ainda se verifica por parte do homem. Aí a sensibilização tem de ser mais activa e julgo não ser exagero exigir-se mais rigorosidade aos órgãos de justiça de forma que se puna com veêmencia os homens cobardes que aproveitam a fragilidade do sexo feminino para colocarem em evidencia os seus dotes de violentos.

Carla Conceição - Luanda

 

88,5 MILHÕES DE USD

É o quanto vai custar a construção de quase 17 kilometros de vias no casco urbano da cidade de Cabinda empreitada a ser realizada por uma empresa chinesa. A obra já foi autorizada pelo Presidente José Eduardo dos Santos.

2000 PÉS DE EUCALIPTOS

é o número que se pretende plantar no País. O projecto concebido pela empresa Estrela da Floresta, prevê numa primeira fase, plantar 300 mil plantas de eucaliptos numa área de 200 hectares, já em preparação, no Alto Catumbela (Benguela), Cuima e Sanguengue (Huambo) para ensaio de 12 espécies melhoradas adquiridas na República da África do Sul.

400 TRABALHADORES.

A construtora brasileira Odebrecht será obrigada a desembolsar cerca de USD 9 milhões para fechar um acordo judicial depois de ser acusada de tráfico de pessoas e de manter em Angola 400 trabalhadores em condições análogas à escravidão.

 

TIRADAS DA IMPRENSA

  • "É necessário que se olhe para Portugal como um parceiro importante,mas as relações entre ambos os países só poderão ser boas se houver reciprocidade de tratamento de entidades políticas e países"- Georges Chicoti, Ministro das Relações Exteriores de Angola. 
    In Jornal Vanguarda
  • "E mesmo na separação das instituições, as nossas instituições mesmo que tenham eventualmente cidadãos portugueses que cometam erros aquí têm o tratamento específico, que fica no fórum judicial e não têm tratamento público pela imprensa"
    Idem
  • "A nossa economia está a crescer há 13 trimestres consecutivos. Se não é suficiente para um País sair do Procedimento por Défice Excessivo, não sei o que será preciso"- Mário Centeno, Ministro das Finanças de Portugal. 
    In Jornal o Público
  • "Conseguem imaginar o clamor que seria se o Snoop Dogg com a carreira em queda e tal, tivesse apontado e disparado a arma para o Presidente Obama? É hora de ir para a prisão"
    Donald Trump, Presidente dos EUA em resposta à música Lavender

 

O MÊS DA VERDADE 

Vamos entrar no mês de Abril, o das grandes chuvadas, o período em que o grande juiz entra em acção para julgar a consistência das obras executadas pelo governo. Março viu cair alguma carga de água e com ela alguns prejuízos penalizantes à população, como casas destruídas, pessoas desalojadas e o surgimento de doenças.

Os serviços metereologicos apontam-nos grandes chuvadas para o mês de Abril, e essa situação é preocupante porque poderemos ver surgir novas desgraças,doenças que podem levar à morte de crianças e outras pessoas desamparadas quando se sabe que os cuidados primários de saúde são praticamente inexistentes, e, mais grave ainda, há uma crise acentuada de falta de medicamentos.

Continua o governo a gastar tanto dinheiro mas a preocupar-se muito pouco, ou nada mesmo com a saúde das populações. É preciso que eles, que são governo, entendam que as clinicas que surgem em vários pontos do País, praticam regra geral, preços exorbitantes que não podem ser suportados pela maioria da população.

Pedro Nuno - Malanje

 

BOCAS SOLTAS

O País vai a votos este ano, será eleito um novo Presidente da República e novos integrantes ao Parlamento Nacional. Algumas forças políticas, mais prevenidas, já estão na rua em plena campanha pré-eleitoral para convencer os eleitores a votarem nos seus programas.Em causa está a conquista do poder do País sendo que a preocupação dos partidos da oposição é impedir a continuidade da governação pelo MPLA, o actual partido governante e que nessas eleições de Agosto vai ter como cabeça de lista João Lourenço, em substituição de José Eduardo dos Santos, que decidiu não concorrer para mais um mandato como a lei ainda o permite porque deve abandonar a politica activa em 2018.

Sobre esse cenário pré-eleitoral que já se vive registamos algumas opiniões:

....................................................

"O MPLA está em condições de voltar a ganhar as eleições mas não acredito que seja por maioria absoluta. É o partido melhor estruturado mas vai ser penalizado por sustentar um governo amorfo, que promete muito mas faz muito pouco."

....................................................

"O mais importante para o bem de Angola é que não exista maiorias absolutas nas próximas eleições. Com isso ganha os angolanos, ganha o País porque muitas situações negativas que hoje se vive seriam ultrapassadas e se registariam taxas de crescimento notáveis. Os angolanos, identificados nos diferentes partidos politicos legalmente constituídos precisam de discutir, discutir sempre, os seus problemas e encontrar o melhor caminho para a sua solução"

....................................................

"O nível de abstenção nessas eleições será muito grande a maior parte dos eleitores é jovem, a juventude atravessa muitos problemas,notadamente desemprego e falta de perspectiva de afirmação na vida pelo que, diante de soluções exequíveis sobre a governação do amanhã, ninguém vai sair de sua casa para votar. E nisso, o partido a ser mais penalizado será o MPLA.

....................................................

Se as eleições forem livres e transparentes o MPLA não vai ganhar, ninguém vai conseguir maioria absoluta a CASA-CE e a UNITA vão conseguir fazer uma para governarem Angola. E vÃo governar bem!

....................................................

Oxalá conheçamos o final do domínio predador do MPLA.Eles precisam de sentir o que é estar fora do poder para se tornarem mais sensíveis aos problemas que afligem as populações.

....................................................

O MPLA já está em campanha e disposto a varrer tudo e todos e vencer as eleições. João Lourenço vai ser o próximo Presidente de Angola e vai governar sem margens porque a vitória será estrondosa. 

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital