DESPORTO

 
2 de January 2021 - às 07:55

REELEIÇÃO DE ARTUR ALMEIDA O TRIBUNAL TEM A PALAVRA

O Tribunal baixou orientarão para Nando Jordão reforçar a sua argumentação com provas testemunhais, tendo-lhe sido dado, para tal, apenas 8 dias a contar desde o dia 18 de Novembro e, enquanto decorrer o processo, a tomada de posse de Artur Almeida fica suspensa.

 

No dia 15 de Novembro de deste ano, Artur Almeida acabada de ser reeleito para um segundo mandato de presidente de direcção da Federação Angolana de Futebol, ao receber, nas urnas, 70 votos, mas cinco dias depois, com os seus pares do elenco, deixou de esfregar mãos de contente.

O sonho da imediata tomada de posse esbarrou depois que  os seus concorrentes, nomeadamente, Nando Jordão (59 votos), Tony Estraga (28 votos) e José Makaia (8 votos), reclamaram e interpuseram, em tribunal, uma providência cautelar.

A 3ª Secção da Sala do Civil e Administrativo do Tribunal Provincial de Luanda despachou, sobretudo, os argumentos apresentados por Nando Jordão, candidato que ficou em segundo lugar na corrida à presidência da FAF.

Sustentou que Artur de Almeida beneficiou de votos de clubes que não deveriam fazer parte da população votante, por não participarem das provas da FAF.

O Tribunal baixou orientarão para Nando Jordão reforçar a sua argumentação com provas testemunhais, tendo-lhe sido dado, para tal, apenas 8 dias a contar desde o dia 18 de Novembro e, enquanto decorrer o processo, a tomada de posse de Artur Almeida fica suspensa.

Quando viu confirmada a sua vitória pela Comissão Eleitoral, Artur Almeida frisou que a vitória não era apenas suas, mas "venceu o futebol nacional".

Nando Jordão, líder lista A, antes de dar entrada da providência reconheceu a derrota e felicitou Artur Almeida. Tony Estraga, congratulou o vencedor e informou que continuará a prestar o seu contributo para o engrandecimento da modalidade e José Macaia, líder da lista D, reconheceu que Artur de Almeida tudo fez para que voltasse a vencer as eleições.

Artur Almeida terá que aguardar pelo desfecho da decisão judicial - primeiro da providência cautelar e depois pela acção principal interposta pelos concorrentes - dependendo disso a implementação dos planos que traçou para o quadriénio de 2020-2024.

No quadro dos planos que já projectou, caso não s eja "apeado" da direcção, Artur Almeida, deseja por, exemplo, que o próximo Girabola seja sponsorizado por três grandes empresas, tendo citado a Sonangol, Endiama e SODIAM.

Fazer da FAF uma Instituição de Utilidade Pública para constar do Orçamento Geral do Estado é outras da suas metas, a par de outras parcerias, como o de ter um forte elo com Ministério da Educação, no sentido de serem captados jovens praticantes e assim conseguir inibir a adulteração de idades um mal que aflige o futebol nacional. 

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital