LEITORES

 
29 de setembro 2015 - às 10:49

OUTRA VEZ A MAKA DO LIXO CARTA ABERTA AO GOVERNO PROVÍNCIAL DE LUANDA

Lixos! Atenção:pode ser outra tragédia; vão aumentar as doenças respiratórias, alérgicas, até  os cancros, meus senhores.Lembramos que a cólera mata em poucas horas e não escolhe ninguém . Ricos, remediados e pobres serão tocados.

 

Excelências, cordiais saudações;

Pretendo exercer o meu direito de cidadania,pois acho que esta não é apenas exercida durante o pleito eleitoral e estamos numa democracia participativa.

Estou indignado e preocupado com os lixos na capital do país. A situação  é degradante e indecorosa.Cantores e poetas que cantaram Luanda devem estar arrependidos, tais como Burity, Filipe Mukenga, Bonga, Dionísio Rocha, André Mingas,  e muitos agrupamento musicais espalhados um pouco por todo o lado desta imensa Angola.

E já há avisos lá de cima….Basta cair duas ou três chuvas,  a cólera vairessurgir e arrasar a cidade.

O lixo já é emergência, é um problema de saúde pública.Se os sistemas de recolha e aterro dos resíduos sólidos faliram, tem que haver soluções. Gostei do quadro que vi recentemente em  Talatona,onde muitos citadinos, com a miss Angola à cabeça, deram uma ajuda àqueles que deviam dar o primeiro exemplo moral e ético : os gestores da cidade.

O estado como sujeito de bem, com toda sua moral e autoridade pode aplicar o plano R  ( resolver): 1 - Requisitando meios da tropa, polícia e empresas de construção civil; 2 - os presos e militares devem ser envolvidos na campanha;3- os maus gestores devem fazer trabalho comunitário; 4-Se conseguem mobilizar 1 milhão para o comício de comemoração de um aniversário,  então podem mobilizar 3milhões para limpar a cidade;5-Os “sábados vermelhos” do tempo do “partido sózinho” devem ser reactivados imediatamente. 

Até nos Estados Unidos há trabalho comunitário. A maka é a mesma, existe, e a cólera  está à espreita. Não acredito que as nossas instituições sanitárias estejam preparadas para um surto epidémico de cólera.E já, agora, cadê a nossa Ordem dos Médicos? Não diz nada, na eminência duma epidemia? Os problemas de saúde pública não lhe dizem respeito?

Por outra, parece que anda aí algum “Chico esperto” a mandar queimar os

Lixos! Atenção:pode ser outra tragédia; vão aumentar as doenças respiratórias, alérgicas, até  os cancros, meus senhores.Lembramos que a cólera mata em poucas horas e não escolhe ninguém . Ricos, remediados e pobres serão tocados.

Então combatamos implacavelmente  os lixos.É uma emergência nacional depois de guerra e da corrrupção que corrói o tecido social económico de Angola.

Esperamos uma atitude deste Estado sujeito de bem. Tenho dito, Bem hajam.

Herculano Filipe J.K. da Silva

Luanda

 

TIRADAS  DA IMPRENSA

 

“A polícia deteve, na Hungria, três pessoas alegadamente implicadas na morte de mais de 70 migrantes, encontrados num camião frigorífico abandonado no leste da Áustria, noticiou (…) o diário austríaco Krone. O camião, de 7,5 toneladas e um compartimento de carga com cinco metros, estava parado numa zona especial para avarias da auto-estrada. A informação não foi confirmada pelo ministério do Interior austríaco e não foram avançados quaisquer pormenores. 

De acordo com o jornal, as detenções ocorreram na Hungria e as autoridades suspeitam que os alegados líderes deste grupo de traficantes estão na Roménia”- In Lusa/SOL

 

“O alto comissário das Nações Unidas para os refugiados, António Guterres, apelou recentemente à distribuição de pelo menos 200.000 refugiados, defendendo que todos os estados-membros deviam ter a obrigação de participar neste programa. "As pessoas que fazem um pedido de proteção válido (...) devem de seguida beneficiar de um programa de reinstalação em massa, com a participação obrigatória de todos os estados membros da União Europeia. - In “Correio da Manhã”

 

“Uma estimativa bastante preliminar parece indicar a necessidade de aumentar as oportunidades de reinstalação até 200.000 lugares", escreveu António Guterres em comunicado. (…) Na mesma altura, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, apelou aos Estados-membros da União Europeia (UE) para aceitarem pelo menos 100 mil refugiados, de modo a aliviar a pressão nos países da chamada “linha da frente”- Ídem

 

BOCAS SOLTAS

 

O Sindicato dos Professores (SINPROF) reclamou  ao Estado o pagamento de mais de Kz 16 mil milhões relativos a pagamentos de salários e subsídios em atraso desde 2014, segundo revelam certas fontes noticiosas fora da “rede” do Executivo. Em Julho passado, o “kilápi” governamental cifrava-se em 12 “bis”, mas como com professores, alguns dos quais universitários formados em economia não se deve brincar, estes fizeram as continhas e chegaram à conclusão que a coisa cresceu e muito! Mais uma maka em tempos de crise aguda, com alguns responsáveis do Ministério da Educação a prometerem que o Estado vai regularizar os pagamentos ainda este ano, apelando à “calma dos docentes”. Alguns dos nossos cidadãos contactados por nós são professores. Como é óbvio, estão bem bravos e com os bolsos vazios…

 

....................................................

“Ninguém imagina o que se pode fazer em termos de ilegalidades quando você não tem em casa o minimamente suficiente para sobreviver com os familiares durante este tempo todo. Essa malta do Estado deve estar a brincar com coisas sérias!”

....................................................

“Nem quero falar sobre os órgãos competentes do Ministério da Educação quanto a este assunto da dívida do Estado. Aqui o problema nunca foi falta de dinheiro. Há uns tipos por aí que se aproveitam da situação económica que o país vive para reforçarem os esquemas de corrupção e subornos, porque sabem  que o Estado, tarde ou cedo, vai assumir as suas responsabilidades….”

to.

....................................................

“É fundamental que o Executivo angolano comunique mais regularmente com o Sindicato dos Professores (SINPROF), que já deu provas mais do que evidentes que é um bom parceiro do Estado para conversar e  resolver os assuntos da classe imensa de trabalhadores que educam o país. Agora, a base intermédia das negociações não é séria.”

....................................................

“É uma situação bastante desagradável para essa classe de trabalhadores que é constantemente acusada de “corrupta”. Essa situação a que estão sujeitos desde o ano passado tem de ser resolvida. Não se entende que um país cheio de biliões de dólares nos cofres passe por uma vexame destes!”

....................................................

“A malta já não sabe até aonde isto vai parar, com tantas contas que o Estado tem e num país quando se deve salários e subsídios aos professores já é um problema capaz de desestabilizar a própria estrutura montada no sistema da educação e ensino, que é a base de tudo. Oxalá, que a maka seja imediatamente resolvida!”

....................................................

“Agora é dívida do Estado para aqui e para acolá? Sinceramente, espero que o Executivo faça valer o esforço que fez para parar com a guerra que matou muita gente. A hora é de resolver os problemas sociais e Angola nunca foi um país pobre. Se me perguntarem se há dinheiro ou não para pagar o que se deve aos professores, eu direi que sim, há! O problema é que o “money” está a ser mal gerido por alguns interessados.”

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital