ECONOMIA & NEGÓCIOS

 
23 de August 2019 - às 10:05

LUANDA TEM ALBERGADO A MAIOR FEIRA DE NEGÓCIOS DO PAÍS UM OLHAR SOBRE A FILDA DOS NOSSOS DIAS

Com uma área estimada de 20 mil metros quadrados, a 35ª edição da Feira Internacional de Luanda (Filda) foi realizada no período de 9 a 13 de Julho de 2019, com o lema “Dinamizar o sector privado e promover o crescimento económico. Fundada com o propósito de contribuir para o desenvolvimento da economia e aporte à indústria nacional, o evento assume já uma grande notoriedade internacional, a contar pelo interesse crescente de importantes agentes estrangeiros, que todos os anos reiteram e reforçam a sua participação no evento

 

A Filda é a oportunidade concreta de países como Portugal, Brasil, Alemanha, Espanha, África do Sul, Turquia, India, Japão entre outros, internacionalizarem as suas empresas e garantirem maior competitividade no contexto da economia onde se inserem. O interesse pela feira prende-se com o perfil altamente consumista que o país apresenta em quase todos os sectores de actividade e o programa ambicioso de realização de importantes obras públicas, e ainda ser uma oportunidade para se mostrar não só o que produz, sobretudo os produtos que se exportam.

Desta forma, pretende-se reforçar a atractividade de Angola no panorama mundial, estimular parcerias entre empresários nacionais e estrangeiros, bem como construir uma Angola auto-suficiente com vista a exportação de bens de serviços.

O segredo do sucesso da feira é simples: aumenta-se consideravelmente o número de exposições inovando permanentemente os serviços. Esta estratégia permitiu este ano uma estimativa de cerca de 17 mil visitantes, em comparação a 2018 que foram de 10.500 visitantes, com uma receita estimada  de 4 milhões de USD.

A promotora do evento, Grupo Arena, entidade escolhida para o efeito,centrou-se na aposta da organização no sentido de atrair um público muito ligado ao negócio, o que levou a uma especialização por sectores. Esta foi a forma encontrada para tornar mais eficaz os acordos de parceria e negócios estabelecidos no recinto. Por outro lado, e tendo em conta a captação de um público jovem, em particular os estudantes universitários, a administração optou pela isenção do preço dos ingressos, o que obviamente estimulou o referido público.

No entanto, o evento carece de melhorias.Os organizadores deverão explorar todas oportunidades decorrentes do seu potencial, inovando, enriquecendo, enfim, melhorando a qualidade dos seus serviços e produtos. Tendo em conta este alinhamento, a organização deverá apostar na publicidade e branding, através da implementação do canal multimedia, mecanismo no qual as empresas poderão expor as suas marcas e anunciar seus serviços e produtos.

Por exemplo, a Alemanha como líder mundial na produção de maquinarias para indústria pesada, já fez saber que tenciona potenciar contactos com actores angolanos no sentido de se desenvolverem parcerias de longo prazo naquele segmento, pois este país afigura-se como um grande parceiro se quisermos desenvolver uma indústria pesada. De referir que,  actualmente, 1/4 das importações globais recaem para os bens de capital e com grande incidência para a maquinaria. 

O tema escolhido para 35ª edição é sugestivo, numa altura em que o crescimento económico tende para o abrandamento.O país carece de reformas estruturais com vista a consolidação do mercado interno, bem como o reforço da diversificação da económica, para que se operem maiores taxas de crescimento. Nesta perspectiva, os períodos de crise são interessantes para repensar e implementar novos modelos de crescimento, com um enfoque nos sectores comércio geral, indústria alimentar, construção, decoração de interiores, transporte de logística e, fundamentalmente a  agricultura,pois, este sector juntamente com o das pescas são responsáveis por cerca de 11% do PIB nacional.

Interessa lembrar que uma Feira de Negócios é uma plataforma presencial; é a maior e mais diversificada montra do sector produtivo; as feiras geram negócios para grandes, médias, pequenas e microempresas; além de que, num mesmo lugar, indústria, empresários e  empreendedores podem negociar e criar parcerias.

Para participar de uma feira de negócios a empresa deve actuar com pesquisa, planeamento e trabalho em equipa. Trata-se de  uma oportunidade de negócios para expositores eficientes e bem preparados venderem seus produtos.

A promoção comercial é uma actividade viva e dinâmica em constante mutação. Desde que esses eventos ofereçam propostas de valor alinhadas às características da economia angolana, será sempre uma mais-valia quer para os negócios em concreto, quer para a economia da cidade. Este ano a organização do evento apostou na criação da feira de emprego, na medida em que os candidatos poderiam candidatar-se a postos de trabalho temporário.

Importa também lembrar que Luanda tem vindo a realizar vários eventos multissectoriais de cariz internacional, que exigem uma capacidade de resposta do sector hoteleiro, porque a cadeia produtiva do sector de Feiras de Negócios exige várias  opções de gastronomia, hotelaria e lazer existentes na capital. 

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital