DESPORTO

 
28 de junho 2016 - às 08:12

GIRABOLA ZAP D´AGOSTO É CAMPEÃO DA PRIMEIRA VOLTA

O 1º de Agosto, por mérito próprio, sagrou-se campeão na primeira volta do Girabola Zap, com 35 pontos, cumprindo assim a primeira etapa da luta pela conquista do troféu da prova, que foge da galeria do clube há dez anos

 

Mesmo que não tenha acertado em todos os jogos, a equipa militar quase concretizou a aposta e a promessa feita, no início da época, pelo presidente do clube, Carlos Hendrick, pois, o conjunto apenas perdeu  com o Kabuscorp e o  Recreativo da Caála, por 2-0 nas duas ocasiões, e empatou, 3-3, com o Interclube, e 0-0, com o Sagrada Esperança da Lunda-Norte.

Significa, assim, em parte, que vingou o "recado" do presidente do clube militar para todos os concorrentes ao título desta época. Ele tinha dito que, quem trabalha e investe, espera sempre colher os frutos, cria as condições necessárias para se vencer o campeonato.

Para si, o 1º de Agosto entraria em todas os jogos respeitando sempre o trabalho das equipas adversárias, mas, estando há dez anos  sem vencer o campeonato, faria tudo para proporcionar alegria aos sócios e adeptos do clube, porque tinha (e tem de facto) uma equipa técnica e jogadores  capazes. A primeira promessa está então conseguida.

Por esta razão, embora falte ainda a safra da segunda volta, a maioria dos analistas e comentaristas do futebol nacional concorda, pelo que se viu na primeira, que o 1º de Agosto está mais forte e determinado para  a conquista do Girabola Zap de 2016 - porque conseguiu reforços e uma equipa técnica liderada por Dragan Jovic e Filipe Nzanza à altura das metas definidas. 

Tendo em conta este investimento do clube militar, as outras equipas, como o Libolo, Petro de Luanda e o  Kabuscorp, que também têm a ambição de chegar ao título, terão de apresentar um plantel com melhores qualidades do que os jogadores do 1º de Agosto, que , diga-se, no início da época correu para o mercado a contratatar jogadores de referência, uns à renovação e outros pela primeira vez.

Destacam-se jogadores como Toni Cabaça, Dominique, Julião e Lambito (guarda-redes); Dani Massunguna, Sargento Ekundi, Vado, Diakité, Mingo Bile, Isaac, Bruno, Fissy, Paizo e Mona (defesas); Manucho, Jumisse, Milambo, Ibukun, Buá, Geraldo, Ary Papel, Gogoró, Gui, Romaric, Nelson e Cirilo (médios); Gelson, Patrick e Makiavala.

Com este naipe de jogadores, do 1º de Agosto só se esperava mesmo o domínio da primeira volta onde Gelson é o grande "abono de família", conforme deu a ver sempre que treinou e nos jogos em que foi ovacionado e levantou aplausos.

É um craque que, em boa verdade, está no bom caminho, apenas se lhe recomendando cuidado para não cair na vaidade, pois, tem alguns detalhes, de somenos, a trabalhar ainda, especialmente se for para o Sporting de Portugal, onde a realidade é bem diferente do campeonato angolano.

Este jogador  fechou já a primeira volta com 14  golos, mais um que os melhores marcadores do campeonato passado, Meyong (ex Kabuscorp) e Yano (Progresso). Por isso mesmo, este promissor avançado do Sporting de Portugal, apontou mais nove que o seu mais directo perseguidor, Baldé (Benfica de Luanda).

Além de Gelson, a equipa militar, tem outros bons valores em clara ascensão e que, por isso mesmo, foram igualmente alicerces  do colosso 1º de Agosto na primeira volta. Sem contudo "embadeirar" em arco  este primeiro domínio, ao 1º de Agosto não significa já que para si o campeonato está ganho. Porque  este Girabola 2016 está a ser muito bem disputado, apesar de ainda faltar muita qualidade técnica e táctica. 

Também o Kabuscorp do Palanca e Petro de Luanda entrarão na luta. Vão continuar no lote dos candidatos de costume, tendo em conta o que vêm fazendo nas últimas temporadas.

Das duas equipas o que se espera é a habitual  luta pela permanência. Para tal, terão que demonstrar melhor programação e organização, bom suporte financeiro e qualidade competitiva, particularmente o Interclube, Benfica de Luanda e Desportivo da Huíla, que começaram bem a prova, vindo a terminar a primeira volta em lugares não previstos.

Por tudo isto, a segunda volta, ao que tudo indica, será muito renhida, porque o Recreativo do Libolo quererá, outra vez, chegar ao título para, em 2017, regressar à  Liga dos Campeões de África, competição na qual tem investido muito, mas com fracos resultados nas eliminatórias iniciais.

Oxalá, então, até ao dia 9 de Julho, data do reatamento do campeonato, o clima de crise financeira que grassa na economia angolana, devido à acelerada queda do preço do petróleo no mercado internacional, não ameace a prova, como  estava para acontecer com o Porcelana FC com a desistência.  

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital