DESPORTO

 
30 de julho 2018 - às 11:39

ESPECIAL MUNDIAL 2018

No primeiro encontro disputado entre treinadores portugueses, Carlos Queiroz, que já foi seleccionador da equipa portuguesa  e a levou ao campeonato do Mundo  de 2010, na África do Sul,  encarregou-se de defender o combinado iraniano até às últimas consequências. Por isso, não escapou às críticas da imprensa do seu país, unânime em crucificar o técnico

 

CARLOS QUEIROZ, AO ATAQUE, CONTRA TUDO E TODOS  "ESTOU A CRIAR CONFUSÃO NO MEU PAÍS MAS ISSO NÃO É UM PROBLEMA PARA MIM"

Queiroz  deu o peito às balas, criticou  fortemente a arbitragem do confronto, em que, segundo ele, o VAR em serviço prejudicou a selecção do Irão, que participa pela segunda vez consecutiva numa Copa do Mundo, graças ao seu trabalho brilhante.

Algumas estrelas do combinado tuga não escaparam das  “marteladas”, mas há que registar o abraço fraternal entre ele e Fernando Santos, com quem diz manter uma sólida amizade duradoura. Eis algumas intervenções de Carlos Queiroz, o seleccionador do Irão,  que não se coibiu em voltar à carga contra a arbitragem, contra a própria FIFA, após o jogo frente a Portugal. Para além de considerar que Ronaldo merecia ter visto o cartão vermelho, o técnico português falou de um penálti por uma alegada falta de William Carvalho.

"Fizemos um jogo inteligente, consistente. Saímos de trás com o desgaste e nervosismo de Portugal. Começámos a provocar mais erros, com um bocadinho de sorte aquela última oportunidade é nossa, a do Ghoddos é nossa. A falta do William é penálti. Boa sorte para Portugal e que ganhem o Mundial", referiu.

Citado pelo  site “Ao Minuto”, Queiroz referiu ainda que o VAR tem muito que melhorar, deixando duras críticas à FIFA. "É um vermelho claro para mim (lance de Ronaldo). As decisões têm de ser claras para todos. O senhor Infantino e a FIFA têm de perceber que o VAR não está a ir bem. Há várias queixas. Temos de pedir uma clarificação sobre o VAR.

Três jogos, três estádios cheios... Sabem os sacrifícios que fazem os iranianos? Não acha que eles têm o direito de saber as coisas? Com o VAR, não há espaço para erros humanos. Antes é que havia erros humanos.

Agora temos um sistema que custou uma fortuna, com cinco, seis pessoas dentro de um espaço. Os árbitros em campo lavam as mãos como Pilatos. Que seja como no râguebi. Quando há o VAR, tenho de saber e ouvir a comunicação.

Sei que estou a criar confusão no meu país, mas isso não é um problema para mim. A verdade tem de ser respeitada", concluiu.

 

COM OS JOGADORES DA SELECÇÃO NACIONAL

QUEIROZ REVELA MÁGOA 

Carlos Queiroz revelou alguma mágoa para com a maioria dos jogadores da Selecção Nacional, após o Irão-Portugal. O técnico português referiu que apenas quatro jogadores se dignaram a cumprimentá-lo após a partida, salientando que trabalhou durante muito tempo que alguns que alegadamente o desprezaram.

“Hoje, quando estava no banco a ouvir os hinos tive um sentimento muito especial. Tenho 36 anos de carreira e 20 dedicados àquelas duas seleções. Oito pelo Irão e 12 por Portugal. Por isso, foi um jogo muito especial para mim.Tive a ocasião de ser cumprimentado por grandes amigos com quem trabalhei, o Fernando Santos, o Carlos Godinho e mais um par de jogadores, o Adrien (…) não me lembro de mais nenhum.

Mas lembro-me de todos os jogadores brasileiros e espanhóis com quem trabalhei e que quando jogo contra eles me vêm cumprimentar. Lembro-me bem disso. E depois de ter trabalhado 12 anos na selecção de Portugal… Ah, desculpem o Bruno Alves também me veio cumprimentar. Ele, o Cédric e o Beto. Alguns deles começaram a trabalhar comigo quando tinham 17 ou 18 anos e passaram por mim… Outros, com quem trabalhei algum tempo vieram abraçar-me e é muito bom sentir isto no futebol”, afirmou. 

 

COTOVELADA É VERMELHO

"NÃO IMPORTA SE É CR7 OU MESSI"

"Como se explica um amarelo num lance claro de cotovelada?", questionou Carlos Queiroz sobre o lance de CR7. Carloz Queiroz defende que Cristiano Ronaldo devia ter visto cartão vermelho por ter acertado com o cotovelo num adversário durante o encontro entre Portugal e Irão, que terminou com um empate a uma bola.

Na conferência de imprensa que se seguiu ao encontro da última jornada do grupo B, o seleccionador iraniano foi peremptório: “Cotovelada é vermelho, está nas regras. Não importa se é Ronaldo ou Messi, está nas regras. É uma questão de atitude e carácter; a decisão tem de ser clara para todos”.

“No VAR, não há espaço para erros humanos. Com um homem sozinho no campo, eram aceitáveis, agora não”, atirou Carlos Queiroz, que deixou uma questão: “Como se explica um amarelo num lance claro de cotovelada?”.

No entanto, o ex-seleccionador português sublinhou que admira “bastante” Cristiano Ronaldo e que espera que “continue a representar Portugal em muitos jogos”: “Espero que Portugal chegue à final e ganhe o Mundial”.

 

QUARESMA ATIRA-SE A QUEIROZ

Ricardo Quaresma admitiu ter ficado chateado com Carlos Queiroz e com as provocações dos jogadores do Irão, exigindo respeito ao treinador português. "Se fiquei chateado com os jogadores do Irão por provocarem? Fiquei, mas fiquei mais com o treinador, é português e deve respeitar mais os portugueses", atirou.

Segundo “Adeptos de Bancada”, quanto às declarações de Queiroz relativamente ao lance da cotovelada de Cristiano Ronaldo, Quaresma preferiu nem responder :"Não vou responder ao Carlos Queiroz, pois estaríamos aqui a noite toda", referiu.

Após mais uma trivela, o internacional português tem apenas mais um desejo."Tenho de ir ao YouTube, não sei quantos já fiz. Mas que continue a fazer ainda mais", concluiu. 

 

CURIOSIDADES SOBRE O AUSTRÁLIA X PERU 

A Austrália não vence há cinco jogos em Mundiais;

Os australianos sofreram golos em 14 dos 15 jogos disputados em Campeonatos do Mundo. A excepção à regra aconteceu em 1974, frente ao Chile (empate a zero);

A Austrália só não marcou em jogos dos Mundiais num dos sete últimos jogos (frente à Espanha);

A selecção australiana nunca venceu uma seleção sul americana em Campeonatos: um empate e duas derrotas;

Nas suas quatro participações anteriores em Mundiais, a Austrália só perdeu o último jogo da fase de grupos por uma vez, precisamente no último torneio, em 2014. De resto, soma uma vitória e duas derrotas;

O Peru soma três derrotas consecutivas em Mundiais, num total de oito jogos sem vencer na competição;

  A selecção peruana ainda não marcou neste Mundial: vai tentar evitar fazer história pela negativa, já que nunca terminou um Campeonato do Mundo sem golos marcados;

Juntando os dois jogos já realizados neste Mundial ao último amigável disputado antes da fase final, os peruanos não marcam há três jogos;

O Peru só defrontou por uma vez uma selecção da Confederação Asiática: goleou o Irão por 4x1 em 1978;

A Austrália tem que vencer para seguir em frente neste Mundial, mas não depende de si. Os australianos têm que vencer (preferencialmente por mais do que um golo) e esperar que a Dinamarca perca diante da França. Qualquer outra conjugação de resultados significa a eliminação da selecção australiana neste Campeonato do Mundo.

 

A INCRÍVEL HISTÓRIA DO GUARDIÃO DO IRÃO

FUGIU DE CASA E FOI SEM-ABRIGO... 

Para si, o dia 26 de Junho de 2018 fica na história… Depois de ter travado uma grande penalidade apontada por Cristiano Ronaldo, trazemos-lhe a incrível história do guardião do Irão, Beiranvand.

Alireza Beiranvand tem um nome difícil de pronunciar para os portugueses, mas uma história ainda mais complicada e que merece ser contada. 

Salvou uma grande penalidade de Cristiano Ronaldo e a verdade é que este guardião há muito que luta contra o destino para ser aquilo que sonhou: ser futebolista.

Fugiu de casa quando ainda era criança para concretizar o sonho de jogar futebol profissional. Deixou a família e o conforto de casa e acabou por ter de viver sem tecto. Depois disso, antes de cumprir o sonho, trabalhou numa fábrica de roupa, lavou carros e limpou as ruas, segundo o The Guardian.

"Adormeci à porta do clube e quando acordei no dia seguinte notei que as pessoas tinham deixado moedas junto de mim", começou por contar ao jornal britânico. "As pessoas pensavam que era um pedinte. Nesse dia, comi um pequeno-almoço delicioso pela primeira vez em muito tempo", continuou em tom já mais descontraído.

Alireza Beiranvand, aos 25 anos, alinha pelo Persepolis FC, onde foi titular durante 42 jogos, sendo que, ao serviço do seu país, contabiliza já 25 internacionalizações, sendo que, agora, no seu currículo, tem uma grande penalidade defendida marcada por Cristiano Ronaldo, um feito de que poucos se podem gabar no mundo do futebol. 

 

GARANTE QUE NÃO OUVIU NADA DE CARLOS QUEIROZ

JOÃO MOUTINHO, O SURDO 

Para si, o dia 26 de Junho de 2018 fica na história… Depois de ter travado uma grande penalidade apontada por Cristiano Ronaldo, trazemos-lhe a incrível história do guardião do Irão, Beiranvand.

Alireza Beiranvand tem um nome difícil de pronunciar para os portugueses, mas uma história ainda mais complicada e que merece ser contada. 

Salvou uma grande penalidade de Cristiano Ronaldo e a verdade é que este guardião há muito que luta contra o destino para ser aquilo que sonhou: ser futebolista.

Fugiu de casa quando ainda era criança para concretizar o sonho de jogar futebol profissional. Deixou a família e o conforto de casa e acabou por ter de viver sem tecto. Depois disso, antes de cumprir o sonho, trabalhou numa fábrica de roupa, lavou carros e limpou as ruas, segundo o The Guardian.

"Adormeci à porta do clube e quando acordei no dia seguinte notei que as pessoas tinham deixado moedas junto de mim", começou por contar ao jornal britânico. "As pessoas pensavam que era um pedinte. Nesse dia, comi um pequeno-almoço delicioso pela primeira vez em muito tempo", continuou em tom já mais descontraído.

Alireza Beiranvand, aos 25 anos, alinha pelo Persepolis FC, onde foi titular durante 42 jogos, sendo que, ao serviço do seu país, contabiliza já 25 internacionalizações, sendo que, agora, no seu currículo, tem uma grande penalidade defendida marcada por Cristiano Ronaldo, um feito de que poucos se podem gabar no mundo do futebol. 

 

"MESSI DEVIA  TER VERGONHA" 

Messi, o maior craque argentino, surgiu aos olhos do mundo completamente desolado, na sequência da derrota da Argentina por 3-0 diante da Croácia. Com a cabeça baixa, caminhou para o balneário e não falou com ninguém. Logo a seguir ao jogo, o melhor jogador do mundo recebeu críticas do antigo-jogador francês Emmanuel Petit, campeão do mundo em 1998.

“Messi deveria sentir-se envergonhado. Ter caminhado com a cabeça baixa deveria envergonhá-lo. Acho que ele deveria acordar, porque quando as coisas não saem bem, ele não sabe reagir... Quando as coisas vão bem no Barcelona, é um jogador excelente...”, disse Petit à Paddy Power.

Sobraram críticas também para a selecção da Argentina. “A actuação da Argentina foi algo vergonhoso... Os jogadores estão sem confiança. Pela forma que jogaram, acho que a Argentina não passa à próxima fase”, disse na altura Petit, um dia antes do confronto  dos sul-americanos com a selecção da Nigéria.

 

ARBITRAGEM DO IRÃO-PORTUGAL

NÃO DEVIA SER USADO NO MUNDIAL

O árbitro inglês Mark Harley foi mais uma voz que condenou o desempenho do árbitro Enrique Cáceres no Irão-Portugal. Este considera que o penálti de Cédric foi um erro crasso e que o VAR ainda não deveria ser usado num torneio tão prestigiante como um Mundial. Hasley considera que os árbitros estão longe de estar preparados para utilizar o VAR.

Hasley chamou ainda a atenção de que as regras referem que num lance como o que assistiu entre Cristiano Ronaldo e o defesa iraniano, o árbitro não pode solicitar o VAR já que, na sua óptica, não se trata de uma conduta violenta e que tal foi um erro.

Relativamente ao penálti do Irão, Hasley refere que claramente que não houve intenção de Cédric Soares em jogar a bola com a mão, referindo que se assistiu à mesma polémica neste Mundial, com o penálti da Austrália diante da Dinamarca, no grupo C.

 

FÃ DE CR 7 MORRE NA GUINÉ

Um homem guineense de 38 anos faleceu enquanto assistia ao Irão-Portugal. Testemunhas revelaram que o indivíduo caiu inanimado no meio do salão onde assistia à partida, em Cuntum Madina, quando o relógio ainda marcava 20 minutos de jogo.

Ainda foi assistido no local pelos presentes, mas viria a perder a vida já no hospital.

As testemunhas recordam-no como um adepto da equipa das quinas e de Cristiano Ronaldo   e que "estava convencido de que o jogo ia ser fácil e que Portugal ia ganhar, com dois golos do seu ídolo Ronaldo".

 Mamadu Seide, vizinho da vítima, explicou que ele vibrava com o jogo e, com espanto de todos, caiu no salão (uma barraca improvisada com uma televisão) onde se encontravam a ver o jogo no bairro de Cuntum Madina.

 

APÓS SHOW NAS BANCADAS MARADONA PEDE DESCULPA

Diego Armando Maradona foi protagonista durante a vitória sofrida da Argentina frente à Nigéria, resultado que apurou a selecção de Lionel Messi para os oitavos do Mundial.

Nas bancadas, o antigo jogador mostrou-se sempre muito emocionado com todos os lances e, no final da partida, foi retirado em braços das bancadas. A ESPN avançou que teria sido transportado para um hospital, informação já desmentida por Maradona nas redes sociais.

Escrevendo para os seus seguidores, o antigo melhor jogador do planeta disse estar bem, pediu desculpa pela preocupação que deu e disse nunca ter sido levado a nenhuma unidade hospitalar. "Quero dizer-lhes que estou bem, não estou nem estive internado.

Durante o intervalo do jogo com a Nigéria, doía-me muito a nuca e sofri uma quebra de tensão", começou por referir. "Fui assistido por um médico que me recomendou que fosse para casa antes da segunda parte, mas quis ficar porque estava tudo por decidir.

Como iria embora?", atirou em tom interrogativo.

"Mando-vos um beijo a todos, pe doem-me pelo susto e obrigado pelo apoio, há Diego para muito tempo", afiançou. 

 

MALDINI DECIDE ENTRE CR7 E MESSI:

"ESCOLHOSEMPRE LEO"

Paolo Maldini é para quem tem alguma idade um dos melhores defesas que recentemente pisou os relvados dos grandes palcos europeus.

Agora já com as chuteiras arrumadas, o italiano foi instado a comentar as diferenças entre Cristiano Ronaldo e Lionel Messi. O transalpino, confidenciando que Ronaldo é hoje um avançado implacável, não tem dúvidas em dizer que escolheria para 'a sua equipa'.

"Cristiano Ronaldo mudou muito nos últimos anos, agora converteu-se num avançado centro implacável na área e eu recordo-o como extremo.

Apesar da sua idade, vemo-lo jovem, em plena forma e decisivo", disparou Maldini.

"Entre Messi e Cristiano Ronaldo escolho sempre Leo. O argentino finta, cria, tem um estilo que me agrada muito. Se tivesse de escolher, não teria dúvidas", finalizou.

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital