DESPORTO

 
2 de January 2021 - às 07:49

ÉPOCA'2020/21 SEM DATA PARA ARRANQUE GIRABOLA PERMANECE NA INCÓGNITA

FAF aguarda por um parecer por parte do Ministério da Saúde, relativamente à indefinição da testagem regular dos integrantes das equipas e às condições de biossegurança para a realização dos jogos

 

O regresso aos relvados do principal campeonato de futebol do país, Girabola, ainda é uma autêntica incógnita. Dois meses após sorteado o calendário, tendo em vista a época 2020/21, permanece a dúvida em relação à data de começo da época futebolística nacional.

No centro das dúvidas está o "novo normal". A pandemia persiste em representar o principal 'Calcanhar de Aquiles' da Federação Angolana de Futebol (FAF), que aguarda por um parecer favorável do Ministério da Saúde, relativamente à indefinição da testagem regular dos integrantes das equipas e às condições de biossegurança para a realização dos jogos.

Os futebolistas devem ser testados duas vezes, sempre que houver um intervalo superior a cinco dias entre os jogos. Os jogadores farão apenas um teste quando o intervalo for inferior a cinco dias.

Ao contrário das épocas anteriores, em que o campeonato era antecedido apenas do habitual exame médico-desportivo, as equipas inscritas para o Girabola 2020/2021 são obrigadas a realizar testes de despiste do vírus aos jogadores e equipa técnica.

Para a realização de um teste do tipo RT-PCR (zaragatoa), a melhor análise para identificar casos positivos da Covid-19, os clubes vão desembolsar por cada elemento entre 100 a 160 mil kwanzas.

Os altos custos dos testes podem inviabilizar o recomeço da competição, uma vez que o Ministério da Saúde e o Centro de Medicina do Desporto descartaram a possibilidade de arcarem com as despesas dos clubes e federações.

Embora mergulhado em incertezas, o Conselho Técnico Desportivo da FAF emparceirou as equipas nas 30 jornadas. Na ronda inaugural, salta à vista a recepção do Petro de Luanda ao FC Bravos do Maquis e a deslocação do Interclube ao Estádio Nacional 11 de Novembro, para defrontar o 1º de Agosto, detentor do título.

O jogo mais aguardado, entre militares e petrolíferos, normalmente agendado para uma fase adiantada do Girabola, é disputado à nona jornada, na primeira volta, e 24ª, na segunda, no caso a seis rondas do final da prova, com a discussão do título a dominar as atenções, se o quadro de equilíbrio dos últimos anos persistir.

Na edição interrompida em Março, por força da propagação da Covid-19, o clássico dos clássicos ficou sem efeito no segundo turno, depois do triunfo dos tricolores, por 2-0, na primeira volta, desfecho que deixou os 'rubro-negros' obrigados a vencer os arqui-rivais, de modo a evitar a dependência de terceiros na corrida à conquista do troféu mais cobiçado do futebol nacional.

Disputam a próxima edição do Girabola as seguintes 16 equipas: 1º de Agosto, Petro de Luanda, FC Bravos do Maquis, Recreativo do Libolo, Interclube, Sagrada Esperança, Recreativo da Caála, Progresso do Sambizanga, Académica do Lobito, Wiliete de Benguela, Ferrovia do Huambo, Sporting de Cabinda, Cuando Cubango FC, Santa Rita de Cássia, Desportivo da Huíla e Baixa de Kassanje de Malanje. 

 

Textos:  António Félix / Fotos: Arquivo NET

 

ANGOLA JOGA NA RDC

SELECÇÕES DISCUTEM POSIÇÕES NA CORRIDA AO CAN'2022 

 

Com o desafio entre as selecções de Angola e da República Democrática do Congo (RDC), agendado para sábado, dia 14, às 20H00, no Estádio dos Mártires, em Kinshasa, a centrar as atenções dos prosélitos da modalidade no país, o fim-de-semana futebolístico em África será atractivo em duelos de selecções, tendo como 'pano de fundo' a eliminatória de qualificação ao Campeonato Africano das Nações (CAN), em 2022, nos Camarões.

O calendário da CAF aponta para uma dupla jornada (3ª e 4ª), com período de disputa entre 11 e 17 de Novembro, numa velocidade cujo objectivo visa recuperar o tempo perdido, por força do 'hiato' registado nas eliminatórias, como medida de prevenção a propagação da Covid-19.

Desta forma, quinta-feira, dia 12, estão agendados os seguintes jogos: Burkina Faso – Malawi e Uganda – Sudão do Sul (grupo B); Ghana – Sudão (grupo C); Gabão – Gâmbia (grupo D); Camarões – Moçambique (grupo F); Algéria – Zimbabué e

Zâmbia – Botswana (grupo H); Congo – E-swatini (grupo I) e Costa do Marfim – Madagáscar (grupo K).

Na sexta-feira, 13, jogam Mali – Namíbia (grupo A); África do Sul – São Tomé e Príncipe (grupo C); Marrocos  – RCA (grupo E); Tunísia – Tanzânia (grupo J); Níger – Etiópia (grupo K) e Nigéria – Serra Leoa (grupo L). Já no sábado, dia 14, defrontam-se em Kinshasa RD Congo – Angola (grupo D); Egipto – Togo (grupo G) e Benim – Lesoto (grupo L).

No fecho da terceira jornada, domingo, dia 15, Tchad – Guiné Conacry (grupo A),

Burundi – Mauritânia (grupo E), Comores – Quénia (grupo G); Guiné-Bissau – Senegal (grupo I) e Guiné -Equatorial – Líbia (grupo J). Os jogos da quarta jornada realizam-se entre os dias 16 e 17 do mês em curso.

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital