DESPORTO

 
27 de November 2020 - às 17:56

ELEIÇÕES NA FEDERAÇÃO DE JUDO MAKAS E INSÓLITO MANCHA 'COMBATE' PELA LIDERANÇA

O Ministério da Juventude e Desportos reagiu ao caso insólito e as demais anomalias verificadas nos actos eleitorais com uma chamada de atenção à responsabilidade dos associados no processo.

 

A crise instalada na Federação Angolana de Judo (FAJ) está longe de conhecer um desfecho. Desde a saída do presidente destituído, Paulo Nzinga “Apolo”, que não reina a estabilidade no seio do órgão reitor da modalidade.

Nem mesmo a busca de uma solução para os problemas que vive a federação, por meio da realização de eleições ajudaram. Como prova disso, no pleito eleitoral realizado recentemente, houve o registo inédito de duas comissões eleitorais, facto que pode forçar a repetição das eleições ou a anulação de um dos actos eleitorais.

O Ministério da Juventude e Desportos reagiu ao caso insólito e as demais anomalias verificadas nos actos eleitorais com uma chamada de atenção à responsabilidade dos associados no processo.

Num comunicado, o órgão de tutela reitera o seu papel fiscalizador e afirma ser a resolução de eventuais problemas de inteira responsabilidade dos associados, bem como deixa claro que irá analisar e aferir a legalidade dos actos e processos eleitorais nos marcos da lei.

O Minjud assegurou, ainda, que os parceiros que não realizaram os pleitos eleitorais nos prazos estabelecidos deixam de ser interlocutores válidos, até à sua conformação à lei e que terão ajuda apenas para questões pontuais relacionadas com os compromissos internacionais, a fim de salvaguardar o interesse do Desporto Nacional.

Numa recente declaração à imprensa, Pedro Junqueira, vogal da Comissão de Gestão do Judo e treinador do Interclube, esclareceu as causas das desavenças: “Os associados suspeitam que Casimiro Bento estava interessado no manuseio do dinheiro que está na conta da Federação na ordem de 21 milhões de kwanzas”, disse.

Acrescentou que desde a ascensão ao cargo, o presidente da Comissão de Gestão diz que “nunca” teve acesso à conta bancária. Durante o inventário dos activos, os associados reprovaram a sua proposta de elaborar o carimbo e novo logótipo da instituição. Então, solicitou a fabricação de um novo com o mesmo teor. O anterior foi subtraído pelo presidente cessante.

Uma das Comissão Eleitoral no Judo foi eleita pelos associados das províncias do Cuanza-Sul, Cuanza-Norte, Luanda, Bié, Cuando Cubango, Huíla, Benguela, Namibe, Huambo e Cabinda, constituída por Domingos Pascoal, José Bruno e Alberto Caxinda. 

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital