LEITORES

 
29 de outubro 2015 - às 18:28

DESABAFO DE UM “MWANGOLʔ NA “TUGA”… “ESTAMOS CONDENADOS A VIVER JUNTOS!”

Esta minha “crónica” pode e deve ser entendida como uma espécie de recado para aqueles que, depois de juntarem alguns patacos em Angola, repito, onde foram bem recebidos, tal como eu o fui aqui na “tuga”,tocam a lançar “bocas” contra Angola, como que se a crise económica que o meu país passa fosse alguma novidade.

 

Já vi partir dezenas de portugueses, vizinhos meus, desta grande Lisboa que me acolheu há cerca de vinte anos.Aqui me formei e criei os meus filhos, qualquer um deles com muita vontade de regressar e conhecer a terra dos seus pais-Angola; uma terra que, de repente, se transformou numa nova rota de descobrimentos da riqueza dos tempos mais modernos, desta feita com um outro estatuto: o da Pátria dos seus próprios filhos.

Sei que os meus caros amigos portugueses partiram daqui com um sentimento de chegarem a Luanda e outras províncias para darem o melhor de si, uma vez que no seu país as coisas estavam tão mal, tão mal que tiveram que emigrar. No início, chegavam notícias boas, enroladas em notas de dólares e carregadas de uma esperança de em Angola aportarem, constituírem família e viver à custa do seu próprio esforço e com o calor hospitaleiro dos angolanos.

De repente, as coisas modificaram-se literalmente. De semana a semana, muitos portugueses começam a regressar e, com desgosto, percebem a crise económica por que atravessa Angola. Compreendem que a situação sócio-económica do povo que os acolheu de braços abertos agravou-se e é incomparavelmente mais preocupante do que aquela que deixam no seu país de origem.

Como bons amigos que são, nunca os ouvi a falar mal do meu país e isso agradeço. Por mim, Angola atravessa um ciclo de vida difícil e saberá contorná-la fruto da sua própria história de luta e e sacrifícios mil. “Já estamos habituados,meus kambas”- tento sossegá-los na minha sempre presente linguagem de musseque.

Esta minha “crónica” pode e deve ser entendida como uma espécie de recado para aqueles que, depois de juntarem alguns patacos em Angola, repito, onde foram bem recebidos, tal como eu o fui aqui na “tuga”,tocam a lançar “bocas” contra Angola, como que se a crise económica que o meu país passa fosse alguma novidade.O que me dá mais raiva é o facto de alguns deles misturarem no mesmo saco a “troikada” deles com, segundo eles,uma “cambada “ de governantes bandidos que estão a roubar os recursos de Angola”…

Como não gosto de misturar “alhos com bugalhos”, tento evitar o confronto o máximo possível, esclarecendo aos mais frustrados que a crise é cíclica e acontece a todos. Daqui a algum tempo vou regressar ao meu país, sem nunca deixar de abraçar os meus vizinhos, bons amigos portugueses que, juntamente,fomos capazes de suportar a crise económica grave portuguesa.Estou mesmo decidido a provar que, mais cedo do que tarde, os portugueses que começam a regressar agora, vão de novo viajar para o meu país por uma única e simples razão: estamos condenados a viver juntos! Força Angola, força Portugal.Como se diz na “banda”…”estamos juntos”!

Fernando Carlos S. F. Lima - Lisboa

 

TIRADAS  DA IMPRENSA

 

“A antiga Presidente do Partido Social Democrata (PSD) e ex- ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, diz que Portugal  “está em estado de choque” com as posições do Partido Socialista(PS).(…)Acusou o líder do PS de “não ter mandato para se aliar à esquerda” e de estar a fazer “um verdadeiro golpe de Estado”.“As pessoas quando votam no PS não é a pensar que estão a votar no Partido Comunista Português ou no Bloco Esquerda. A interpretação de que a maioria votou à esquerda é uma interpretação verdadeiramente abusiva”, afirmou no seu habitual comentário na TVI, acrescentando que em causa está uma “fraude eleitoral” - In “Expresso”.

 

“António Costa, se tinha na sua mente aliar-se ao Partido Comunista e ao Bloco de Esquerda, só tinha legitimidade se tivesse dito isso em campanha eleitoral. Nunca disse tal. (…) Não tem legitimidade para interpretar os votos deles como um mandato”, frisou.Para a antiga presidente do PSD, em causa estão também as diferenças nos programas eleitorais do PS, CDU e BE. “Só por diversão intelectual é que podemos admitir que uma coligação entre o PS, PCP e BE é um governo sólido.”- Ídem.

 

“Como cientistas, temos 100% de confiança de que um dia acontecerá, só não sabemos quando. No passado, poderíamos pensar que levaria 400 ou 500 anos, mas agora podemos imaginar que será possível em 30 anos", diz o pai da jovem, seguro que o recurso à criogenia é polémico.O local escolhido para preservar a filha do casal Naovaratpong foi a Alcor, Arizona, EUA, uma fundação que se dedica à extensão de vida e funciona desde 1967.”- Ídem.

 

BOCAS SOLTAS

 

Terminou uma das épocas mais competitivas do Girabola, tendo-se consagrado campeão o Recreativo do Libolo e descido de divisão três equipas, nomeadamente o Domant F.C. ,do Bengo, Onze Bravos do Maqui, do Moxico e Sporting Club e Cabinda. Pelo meio, muitos “espirros” sobre a corrupção (arbitragens), uma Federação com cofres vazios, que,apesar de levar a bom porto a competição, tem muito que se lhe diga em termos de organização,fundamentalmente quando se alude ao facto de o Girabola deixar de estar na vitrina dos milhões de adeptos durante três meses. Há reclamações e muitas;os adeptos anónimos vencidos estão muito zangados e, como cada um puxa a sua equipa ao seu regaço… dá nisso:

 

....................................................

“Corrupção? Nada disso! O Recreativo do Libolo passou a ser uma “espinha na garganta” de muita gente, desde que se soube que,apesar de ser uma equipa recentemente criada no panorama futebolístico nacional, tem dirigentes de verdade e trabalham a sério. Os do Libolo têm o mérito de ombrear com direcções com mais dinheiro,mas que de organização…népias. Portanto, parabéns Libolo!”

....................................................

“Foi muito difícil engolir o meu Petro neste estado. A equipa mais titulada do Girabola  ficar em sétimo lugar? Isto já aconteceu também ao meu Sporting Clube de Portugal, que, por sinal, também sou adepto fervoroso. Mas estas são outras contas. Por que raio é que o meu Petro deve estar aí e não existe um balanço da  direcção a nos dizer o que realmente se passou para me acontecer esta desgraça?”

....................................................

“O Recreativo do Libolo arrancou bem neste Girabola: esteve aí aos soluços nas últimas jornadas porque achou que estava tudo ganho, tal era a diferença pontual entre os seus principais adversários. Mas, nestas coisas de futebol, tudo pode acontecer e por pouco perderia o título. Como sou mesmo do Sul, e, embora tenha uma certa queda pelo “Primeiro de Agosto” porque sou tropa,  devo dar os meus parabéns ao Recreativo do Libolo.”

.................................................... 

“Saltei de alegria quando soube que o Recreativo do Libolo, com aquele empatezinho contra o “Académica do Lobito”, deitou por terra abaixo o sonho dos adeptos do “Primeiro de Agosto”! Até dei festa, mesmo sem muito dinheiro. Para mim, nem vale a pena falar sobre as arbitragens que saem de Luanda…Venceu a equipa mais humilde,menos de “nariz empinado” e contra tudo e todos. Estão a falar de arbitragens pagas? Provem! Isso até já parece na “tuga”.

.................................................... 

“Foi o Girabola mais equilibrado, sem dúvidas. Não foi fácil aguentar até à última jornada tantos desgostos. Sou do Progresso do Sambizanga e não gostei nada do desempenho da equipa, mas quem perde desta maneira como os “Petros” e “D’Agostos” que têm mundos e fundos, para mim posso aceitar o que o meu clube fez. Pelo menos não desceu de divisão!”

.................................................... 

“Depois daquela dica em que tanto se falou sobre a corrupção, através  do presidente do Recreativo da Caála, o tal  Mosquito, já nem sei em quem acreditar  e picar. A maka parece que ficou em águas turvas, tipo ninguém liga e pronto o Libolo é campeão. No fundo, este  Girabola foi mesmo para esquecer. Venceu o mais forte nestas cenas de desonestidade” 

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital