CULTURA

 
5 de novembro 2017 - às 06:27

BRUNA TATIANA FALA DA SUA CARREIRA MUSICAL

Bruna Tatiana, a menina que tem dado cartas no mercado angolano e africano, a fala a revista Figuras&Negócios sobre a sua carreira, sonhos/projectos.

Vencedora do  prémio Melhor Artista da África Central 2016, com a música “Prometo Mudar”,  do seu último álbum “ AM”  (2015), a artista  considera estar numa boa fase na sua carreira

 

Figuras&Negócios (F&N) - Bruna, o que nos pode falar relativamente a projectos artísticos e da internacionalização da carreira musical.

Bruna Tatiana (BT): Estou numa fase boa. Trabalho há anos para me tornar na artista que quero ser. Tenho uma carreira sólida, sem grandes altos e baixos porque me mantive sempre numa posição de relevância. 

F&N- Sei que tem alguém na família ligado a música, concretamente o seu pai. Mais foi suficiente o incentivo que recebeu para se lançar no mercado musical?

BT.: Não posso dar apenas os créditos ao meu pai, mas a família toda. Posteriormente tive também amigos e colegas que me incentivaram bastante.

F&N - A Bruna chegou, viu e venceu na música angolana. Qual é o segredo do sucesso?

BT.: Penso que não há grandes fórmulas para o sucesso. Acho que ele tem muito a ver com o que perspectivamos para nós mesmos. Podemos aliar a tudo isso, a disciplina, auto-motivação, sermos correctos e nunca desistirmos do que acreditamos. 

F&N - Hoje, considera-se já uma cantora profissional?  

BT.: Sou uma profissional há muitos anos já. Tenho levado a nossa bandeira por onde tenho andado. 

O meu maior objectivo é fazer músicas que sejam intemporais e com mensagens positivas. 

F&N - Que tema musical mais a marcou, até ao momento, a sua carreira?

BT.: "Um sol para cada dia" é sem dúvida nenhuma um dos temas mais marcantes na minha carreira até agora. 

F&N - Como gere actualmente a tua carreira?

BT.: Embora tudo passe por mim, tenho pessoas que me ajudam na gestão da mesma. Trabalho com a STEP Music e estamos a ver também parcerias em outros mercados. 

F&N - O que mudou na música angolana que era feita antes e a que é feita hoje?

BT.: Há muito mais produção nacional e de maior qualidade também. Ainda não se vê a música nem os músicos com a seriedade que se devia mas vamos lutar para que isso mude. 

F&N - Quais são as grandes influências musicais na sua obra?

BT.: Cresci com muitas influências de Soul e R&B americanos mas considero-me uma artista com um gosto bastante aclético. 

F&N - O que pensa do mecenato?

BT.: Sinto que há alguma confusão. Acho que se não se ama a música e se não se respeita a arte não devíamos fazer parte deste movimento. Continuamos a não aprofundar os nossos conhecimentos nessa área e vemos muitos artistas que não podem defender o que fazem com propriedade. Isso em si só já é um grande erro. 

F&N - Como classifica o momento actual da música angolana?

BT.: Temos de facto alguma relevância no panorama musical Africano porque temos artistas que chegaram lá. Com maior destaque temos o Anselmo Ralph e C4 Pedro e o Cabo Snoop. A Nsoki fez em parceria com o DJ Paulo Alves e o DJ Maphorisa uma música que foi um dos maiores sucessos deste ano e temos que continuar a insistir em parcerias pelo continente. 

F&N - Que lugar ocupa hoje Angola no panorama musical africano?

BT.: A arte quando apoiada devidamente pode gerar milhões para um país sem contar que toda a exposição positiva que mesmo pode receber. Penso que faz sentido o mecenato mas não se deve viver à custa do mesmo. 

F&N - Tem sido difícil o casamento entre a velha e as novas gerações de músicos angolanos?

BT.: Acho que é tudo uma questão humildade e bom senso. Não se vai para frente sem saber de onde viemos. Todos nós aprendemos uns com os outros e na música é uma realidade cada vez mais crescente.

F&N - Bruna, em Angola já se vive da música?

BT.: Já se vive da música há muitos anos. 

F&N - Que mensagem deixa a quem queira aventurar-se no mercado musical angolano?

BT.: Para fazê-lo com amor e respeito a música e aos seus consumidores. Não é uma profissão fácil de gerir em muitos sentidos. Todos os sacrifícios só valem a pena se absolutamente amarmos o que fazemos.

F&N - Que músicos mais gostas de ouvir?

BT.:  Gosto de Paulo Flores, Totó, Sandra Cordeiro, Selda, Anabela Aya, Kizua Gourgel, etc.

Yuna, Bruno Mars, Ed Sheeran, Sade, Jasmin Sullivan, Marsha Ambrosius, etc.

F&N - Uma palavra para os fãs…

BT.: Sou eternamente grata pelo vosso carinho e pelo tempo que me dedicam.  

 

Bruna Tatiana participou em 1997 na primeira edição do Big Brother África pela Gala TVC. Em 1999 lançou o álbum "Meu Lado Zouk". Em 2002 apresentou “Bruna”, este último internacionalizou a sua carreira e permitiu que ganhasse alguns prémios por África. Em 2011 lançou o disco intitulado “Butterfly Eleven”, produzido nos Estados Unidos. Em 2015 surgiu no mercado com o álbum AM, trabalho que tem incluído o tema "Prometo mudar" que lhe garantiu o prémio de Melhor Artista da África Central 2016.  

 

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital