MODA & BELEZA

 
6 de maio 2017 - às 06:46

ALFAIATARIA DE PONTA

Hoje, nenhum guarda-roupa feminino está completo sem um fato e, dentro das sugestões para esta estação fria, não é possível encontrar um vencedor – todos rivalizam pela taça da alfaiataria, com os principais jogadores do luxo a reinterpretarem o intemporal equipamento com novas silhuetas e materiais

 

Vestir uma mulher de fato pode ter resultados diametralmente opostos. Por um lado, este é um coordenado que adorna mulheres de negócios, de personalidade forte e que privilegiam, ao mesmo tempo, uma silhueta sofisticada e clássica e, por outro, a escolha errada de tailoring pode colocar todas estas variáveis em causa, endereçando a quem o usa uma imagem desleixada, antiquada e mais corporativa do que “cool”. Nesta estação fria, os fatos merecem destaque em versões que vão do metalizado ao estampado e, assim, a investir, que seja para ganhar.

Em 1966, Yves Saint Laurent apresentou o primeiro fato feminino – já em versão calça e casaco, e não saia e casaco, como proposto por Coco Chanel nos anos 1920 – e, apesar de à data não ter sido recebido com grande entusiasmo pela crítica, o look revelar-se-ia em todo o seu esplendor mais tarde. Muitos anos passaram, entretanto, e o fato tem vindo a intercetar as colecções do luxo estação após estação.

Nos últimos anos, o fato foi perdendo a sua força dentro do vestuário de trabalho, com novas carreiras profissionais e ambientes de escritório cada vez mais informais a substituírem a indumentária tradicional por propostas bem menos rígidas .

Se tiver que investir apenas numa peça nesta estação, terá de ser num blazer. O casaco solto das últimas estações foi substituído por uma versão menos formal do casaco de um fato. Tem um toque mais estudantil, é mais comprido (deve passar das ancas) e em azul-marinho ou cinzento claro na sua encarnação mais forte. As mais corajosas podem usar um de trespasse, mas mantendo os botões apertados para manter a silhueta  mais feminina possível – as versões mais adequadas devem terminar na cintura. Por último, convém não esquecer que os fatos podem estar muito ligados ao universo masculino, mas as mulheres não precisam de copiar os homens, apenas têm de reinterpretar o seu visual – o que é muito mais sofisticado. 

 

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital