RECADO SOCIAL

 
28 de junho 2016 - às 08:20

ACREDITEM, SE QUISEREM…

Há décadas, acreditei, através das antenas de rádio, num programa feito no exterior – o célebre e sempre mobilizador de massas para a revolução , “Angola Combatente”. Ouvíamo - lo com fervor, orgulho pré-datado de que  liberdade de se dizer as coisas em liberdade chegaria. 

 

Não sei se bato palmas, se danço um kuduro, se me viro com o fado mais melancólico que se conhece ou oiço a orquestra sinfónica da Argélia. As notícias que me chegam não me dão muitas hipóteses, porque a coisa que por aqui vai em termos de factos noticiosos para que durmamos no silêncio da noite dos sem - abrigo, fome e miséria resume-se num cenário de medos, receios e frustrações quanto ao futuro próximo do país. A não ser que alguns políticos da mais fina teia desapareçam da cena do mando deste país, cujo povo  não merece o que sofre. Saltem do poleiro e  quanto mais rápido melhor... 

Temos uma lista enorme de milionários para o desgosto da minoria da tal classe média alta ou não. Neste país maravilhoso com jornais atrevidos a falar mal do governo, pensa-se que  não, não temos lista nenhuma. É “invenção”, “querem nos apagar do mapa dos empreendedores”; “qual é a maka de termos angolanos milionários?”; “então não temos o direito de ficarmos satisfeitos com a classe de ricos, nossos irmãos, tios e sobrinhos?”; “ essa mania de falarmos mal de nós mesmos tem de acabar!”- dizem. Aonde metem a massa é que é a maka.Aqui é que não…

Para muitos, é bom? Claro que sim! Vermos os nossos compatriotas a deixarem de andar de “cadiata”,depois de cinco séculos de chicote, muita galheta e serem privados da liberdade, pela qual lutaram os seus ancestrais (esses, sim, com outra mentalidade) é porreiro. Mas vejamos, também, o que diz a imprensa estrangeira. Não é só a nossa (controlada e fechadíssima como nunca)  que diz a verdade. A deles, os do costume. Em Angola há gatunos! Ah,não os há? Novidade, zero.

Há décadas, acreditei, através das antenas de rádio, num programa feito no exterior – o célebre e sempre mobilizador de massas para a revolução , “Angola Combatente”. Ouvíamo - lo com fervor, orgulho pré-datado de que  liberdade de se dizer as coisas em liberdade chegaria. Tomámos conhecimento que havia luta séria, exactamente contra a pequena burguesia, o perigo de que  os futuros “donos disto tudo” mudariam o “status quo” vigente antes da nossa independência nacional. Pois é, conquistaram-na e nesses tempos de liberdade, num dia Agostinho Neto decretou “morte” imediata à burguesia, que virou agora costas ao povo, com um novo- riquismo que não devia atrapalhar, complicar a vida da maioria silenciosa, incapaz de dizer, hoje, basta!. Essa burguesia, mesmo que  hoje (os tempos mudam, não é?)  dentro de um sistema económico liberal vingue, mal ou bem, devia ter moral para dar pão e trabalho. Pois é; “ o tempo passou…e a velha Chica nem consegue vender banana e limão”- cantou Waldemar Bastos.

Mudou tudo! Agora está na moda aparecer na revista Forbes!. Fulana de tal está na lista das mulheres mais poderosas do mundo! É angolana. Tá bom, parece que isto serve como registo de orgulho patriótico. E é, mas para quem? Uma vez li qualquer coisa como isto: em cada 100 angolanos, cerca de 60 são  muito pobres, não conseguem comer normalmente todos os  dias, não sabem ler nem escrever, não têm acesso fácil  à água potável e aos cuidados primários de saúde, nem  casa normal para se abrigar”…Foi em 2009, realizaram-se as eleições gerais bem ganhas pelo MPLA, e tudo indicava que o cenário do filme dramático não fosse realizado  depois de tanta promessa. A verdade é que as notícias, a maior parte das quais nunca desmentidas, auguravam factos que qualquer um ,com menos cuidados cardiovasculares pode “baicar”, “parar”, quer dizer “basar”… 

Não é que em Angola tenhamos SÓ seiscentos milionários ?. Pobres angolanos! Empresários , políticos, consultores formados em Harvard ou nos corredores da Wall Street, no Kremlin ou Israel, ou, mesmo, na Chinatown. Não acredito e pronto. São muitos e quanto mais declarem os seus bens patrimoniais, melhor, de acordo com as leis. 

P.S. - Não metam nessa conversa os tais  angolanos competentes, eficazes e com grau máximo em termos de gestão de dinheiros, enfim, capazes de dormir e acordar com biliões de dólares aos seus pés, mas sem saberem exactamente por quê...  

 

Carlos Miranda

carloslopesdamiranda@gmail.com

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital