RECADO SOCIAL

 
8 de January 2022 - às 16:15

A JUSTIÇA VAI ACTUAR FORTE E FEIO...

 

O Presidente da República de Angola foi recentemente à sede da Organização das Nações Unidas e fez questão de assegurar à comunidade internacional que o país está no bom caminho; que o Executivo que dirige há quatro anos tem promovido a boa governação e a defesa do rigor e da transparência dos actos públicos.E, tal como se esperava, garantiu que não desistiu de empenhar-se na luta contra a corrupção e a impunidade.Afinal, trata-se de um desafio assumido, desde que sentiu que o país, mais cedo do que tarde, estaria sob a sua condução, em 2017...
Quer dentro como fora de portas, reiteradas vezes João Lourenço acentuou que esta guerra contra a malandragem saqueadora dos bens públicos não seria de curto prazo. Longe disso. Afinal, era , é, uma sucessão de batalhas duríssimas contra muitos dos que ao longo de mais de quarenta anos tratou como "companheiros", "camaradas" e mesmo amigos distantes ou próximos ...Entre esta mistura de afectos e desafectos ( e aí é que a sanga do cubico rebenta), muitos estavam prestes a deixá-lo sob sua conta própria e risco. Logo no princípio, houve até alguns que fizeram "fogo amigo"; uns de forma aberta, outros de forma discreta.Nomes? Não interessa. Ele sabe, conhece ou foi conhecendo aqueles com quem devia contar para corrigir o que SEMPRE esteve mal durante quase meio século . Tarefa dura.Duríssima.
Nesse percurso, caíram uns cem ou duzentos "camaradas" ( as aspas são propositadas) e não terá sido certamente fácil tomar as tais "medidas" de choque dentro de um farto universo que, no fundo, constituia uma máfia encapotada nas instituições mais próximas de si. Só alguns devem conhecer o tamanho do grupo de desafectos da sua luta; são maioritariamente homens milionários, literalmente apadrinhados pela liderança do passado."Camaradas" que se negaram a admitir que os tempos tinham de mudar; que deviam restituir imediatamente os bens surripiados, de acordo com as leis e a ordem política estabelecida nos tempos mais recentes ...Houve prazos .Os mais poderosos não obedeceram pura e simplesmente . Ainda que for por uns tempos,vivem aprisionados num ambiente só deles: o da luxúria, do descaso que, em bom "latim" do povo, diz-se a "marimbar-se" .Melhor ainda:"que se lixe!".
Para reiterar o seu compromisso manifestado imediatamente após tomar posse como Presidente da República, já houve inúmeras tribunas, mas nada melhor e oportuno que o púlpito da ONU e foi aí que recentemente apresentou os resultados dos primeiros "rounds" de um combate titânico, diante das mais altas lideranças de mais de cem países."O governo recuperou mais de dois biliões de dólares" - poder-se-á resumir numa só frase o que ele disse.
Poderiam ter sido mais? Pois, sim!Mas uma coisa é certa: poucos foram os países que caíram na desgraça devido à corrupção endémica que terão obtido tal resultado em tão pouco tempo. Embora não sejam os desejados, eles podem até ser considerados razoáveis, tendo em conta a complexidade de um processo que obrigatoriamente tem de contar com a cooperação internacional nos seus mais diversos níveis. Tem de contar com os estados de ânimo de uns e outros líderes e instituições mundiais mais ou menos comprometidos com esta luta de Angola e do seu povo, no sentido de reaver o que, durante mais de quatro décadas, lhes foi descaradamente pilhado.
Ouvimos do Presidente que o estado angolano tem feito recurso aos instrumentos de cooperação internacional em matéria penal e assistência jurídica mútua, tendo concretizado a execução, no estrangeiro, de bens apreendidos em processos que tramitam nos órgãos da Procuradoria-Geral da República, num montante de cerca de USD 2.100.000.000,00 (dois mil e cem milhões de dólares americanos). Menos mal, sim. Aliás, há quem tivesse dito, logo no início deste desafio, que "isto daria em nada"; que "os marimbondos , de tão fortes que são, não dobrariam tão cedo os joelhos" ou que " antes do término do mandato, JLO nem conseguiria descobrir o rasto do dinheiro até do Fundo Soberano"... Pois...e agora?Sinto que vêm aí os tais meses da Procuradoria, dos Tribunais, dos Julgamentos, das Sentenças e das Prisões.Numa só palavra: A Justiça Vai Actuar Forte e Feio...

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital