FIGURAS DE LÁ

 
22 de julho 2019 - às 08:11

Figuras de Lá - Edição nº201

 

FRADIQUE DE MENEZES 

"TROVOADA É FASCISTA"

Patrice Trovoada é “um fascista que deve ser combatido”. Garantiu o ex-Presidente da República Fradique de Menezes, após várias horas de interpelação pela Comissão Parlamentar de Inquérito(CPI), que  está a investigar o Golpe de Estado de 2003, à luz das acusações feitas em 2017 pelo operacional Peter Lopes, membro do antigo batalhão sul-africano “Búfalo”.

De acordo com a "Página Global" , o operacional, que era amigo muito próximo do ex-Primeiro Ministro Patrice Trovoada, e activista político do partido de Patrice Trovoada, publicou um vídeo no ano 2017, anunciando que o ex-primeiro ministro foi o financiador do Golpe de Estado de 2003.(...) Fradique de Menezes garantiu à imprensa que ele era o único alvo, do Golpe de Estado de 2003. «Enquanto Presidente da Republica naquela altura, temos todos que reconhecer que esse golpe de Estado foi contra mim, era para suprimir este indivíduo que estava a incomodar muita gente», reforçou.

************************

DILMA ROUSSEFF

LULA, LIBERDADE JÁ!

A ex-Presidente brasileira Dilma Rousseff,  voltou a pedir a libertação imediata do antigo chefe de Estado, Lula da Silva, por ter , uma vez mais, constatado que  houve falta de rigor e  imparcialidade no processo movido contra o seu aliado de sempre. Em causa, agora, estão as mensagens trocadas entre o Juiz Moro e alguns procuradores. "As únicas provas dessa história são as evidências" apanhadas em flagrante "nas conversas reveladas agora, de que os procuradores fariam o que fosse preciso, independentemente da lei e do devido processo legal, para apoiar uma condenação, e de que para atingir este objectivo foram comandados pelo juiz [Sergio Moro], de maneira ilícita", afirmou recentemente  Dilma Rousseff em comunicado.

De se recordar que Sergio Moro, ministro da Justiça e da Segurança Pública no Governo liderado por Jair Bolsonaro, foi  neste mês de Junho citado numa série de reportagens sobre a operação Lava Jato do 'site' The Intercept. Segundo o Intercept, conversas privadas revelam que o ex-juiz Sergio Moro sugeriu ao procurador e responsável pelas investigações da Lava Jato, Deltan Dallagnol, que alterasse a ordem das fases da operação, deu conselhos, indicou caminhos de investigação e deu orientações, isto é, teria ajudado a acusação, o que viola a legislação brasileira.

************************

JOSÉ MÁRIO VAZ / 

DOMINGOS SIMÕES PEREIRA

"GUERRA" PALACIANA

Fez correr toneladas de tinta a nomeação definitiva de um nome para exercer o cargo de Primeiro Ministro na Guiné Bissau. Pelo menos até dia 20 de Junho nada estava decidido, uma vez que o Presidente guineense, José Mário Vaz, recusou o nome de Domingos Simões Pereira, líder do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), para exercer a chefia do governo.

Em declarações à Lusa, Domingos Simões Pereira disse ter recebido na altura  duas cartas do Presidente da Guiné-Bissau, uma a recusar o nome apresentado com "base em competências constitucionais que não especifica" e outra a pedir ao PAIGC para indicar outro nome. Domingos Simões Pereira afirmou também que o partido esteve reunido para analisar o conteúdo da carta e só depois anunciará uma decisão. 

De recordar que as eleições legislativas na Guiné-Bissau realizaram-se a 10 de Março, mas o Presidente, José Mário Vaz, só  recentemente começou a ouvir os partidos para indigitar o primeiro-ministro e consequente nomeação do Governo.

************************

JUAN GUAIDÓ

"CHEFE DA MÁFIA" ?

O procurador-geral venezuelano, Tarek William Saab, afirmou que o líder da oposição Juan Guaidó está directamente envolvido na má administração da verba destinada aos desertores venezuelanos na cidade fronteiriça colombiana de Cúcuta. No passado dia 18 de Junho, a procuradoria deu início à abertura do processo investigatório sobre os recentes relatos de corrupção entre os membros do partido político de Guaidó, encarregado de cuidar dos desertores venezuelanos.

"O ministério iniciou uma investigação criminal com base em evidências tornadas públicas pela mídia internacional e pelas autoridades nacionais sobre a corrupção na utilização do dinheiro alocado para ajudar os venezuelanos na Colômbia", disse Saab em colectiva de imprensa, citado pela Página Global.Soube-se que este assunto envolve um alegado esquema  tornado público depois que hotéis na cidade fronteiriça de Cúcuta começaram a despejar desertores por contas não pagas que, às vezes, chegavam a US$ 20 mil (R$ 77 mil).

************************

JEAN ZIEGLER

DEMOCRACIA ESGOTADA

Jean Ziegler é uma ave rara na cena política suíça, encarnando há quase meio século a figura do intelectual público de projecção global. Seu activismo político e actuação internacional, como relator especial da ONU, rendeu-lhe uma extensa gama de inimigos, não só entre os bancos, empresários e lideranças conservadoras, mas até mesmo no campo mais progressista. Mas Ziegler continua um observador activo, e nota que os cidadãos das grandes democracias vivem um “desespero silencioso e secreto”.

É assim que o sociólogo Jamil Chade descreve Jean Ziegler, que, para si" não perde a esperança e insiste que a resposta à actual crise europeia está no fortalecimento de uma sociedade civil planetária. Aliás, já se sabe que para Ziegler, os acontecimentos nos últimos anos e a impotência do sistema político em dar respostas mostram que a “democracia representativa está esgotada”.

************************

JAIR BOLSONARO

APOIOS ENFRAQUECIDOS

"Independentemente do seu sucesso, a manifestação  (registada recentemente no Brasil) é uma demonstração de fracasso do governo. Bolsonaro assumiu com uma boa base de apoio no Congresso e apoio popular, mas conseguiu destruir tudo isso em poucos meses", dá conta o Intercept Brasil.Para o seu colunista, José Maria, a manifestaçãoterá sido convocada logo após dois episódios que fragilizaram ainda mais o presidente. O primeiro, revela, foi o avanço das investigações do caso Queiroz, mostrando que a lama na qual Flávio Bolsonaro está atolado é maior do que se supunha. 

O segundo episódio, afirma-se no artigo, foi uma carta escrita por um filiado do Novo e compartilhada por Bolsonaro, em que classifica o país como “ingovernável fora de conchavos” e coloca o presidente como "um anjo indefeso cercado por ratos". 

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital