ECONOMIA & NEGÓCIOS

 
17 de March 2021 - às 16:57

2021: ANO DO ARRANQUE DE UMA RECUPERAÇÃO PRUDENTE ECONOMIA MUNDIAL

O impacto violento do choque externo causado pela pandemia da COVID-19, prevalece e teima em alastrar aos diversos sectores socioeconómicos; porém, um pouco por todo mundo, os estados optaram pela implementação de políticas expansionistas com o objectivo de salvaguardar essencialmente duas áreas fundamentais -  a saúde e a preservação do emprego. 

 

BONS VENTOS PARA UM FUTURO PRÓXIMO

Portanto, a economia mundial dá agora sinais claros de que os próximos dois anos serão interessantes não só para os países desenvolvidos, mas sobretudo para as economias emergentes que se preparam para entrar num novo ciclo de crescimento, motivado pela retoma do gigante asiático – a China, que segundo os analistas, se prevê que cresça 9% já no ano de 2021. Esta previsão está alicerçada, também, nas medidas impostas pelo governo chinês relativas a redução de impostos e cortes nas taxas de empréstimos para estimular a economia e garantir os empregos.
Os mercados têm reagido positivamente aos sinais de retoma, sobretudo no continente asiático, onde se prevê que a Índia pela primeira vez pode tornar-se o principal mercado importador de commodities. O governo indiano também anunciou recentemente algumas reformas para impulsionar a sua economia, prevendo-se em 2021 um aquecimento de 7,4 da economia indiana. Portanto, a China e a Índia precisam de energia e matérias primas para fazer face aos seus processos de produção e de desenvolvimento, o que impacta consideravelmente a nível de procura de petróleo no mercado internacional.
Para 2021 são notáveis outras economias do globo com perspectivas de crescimento como o Macau com taxas de crescimento de (35%). Por outro lado, devido aos confinamentos, muitos países perderam uma das principais fontes de receitas devido ao abrandamento do turismo, nomeadamente as ilhas Virgens Britânicas, São Martinho, Antígua e Barbuda, Santa Lúcia e Maldivas, cujas taxas de crescimento impressionantes de 2021 representarão apenas uma recuperação parcial, em cerca de 11,5%, 9,3%, 8%, 8%, 8% respectivamente.
Outras economias que irão despontar em 2021 com altas taxas de crescimento é a da Líbia (20,9%), que reflecte uma recuperação que incluirá um aumento significativo na produção de petróleo. Outro destaque recai para Albânia (8,5%), Guiana(23%) e o Peru (9,2%) que beneficiará de um aumento significativo da produção de cobre.

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital