País

 
03/04/2013 13:52:50

Cabinda APROVADO PLANO DE DESENVOLVIMENTO

O plano de desenvolvimento da província de Cabinda foi aprovado na última quinzena de Março, pela Comissão Económica do Conselho de Ministros, orientada pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos.

12/12/2012 19:59:00

“Heróica” no tempo da guerra, “culpada” em tempos de paz...

A Barragem Hidro-eléctrica de Capanda é  considerada “ré” num processo  em que a falta de chuvas é a principal culpada da falta ou restrições de energia eléctrica na cidade capital do país e arredores.Ela tem a sua história de vida que, a seguir, tornámos pública, recorrendo ao site principal da Wikipédia.Como é evidente, alguns dados devem ser actualizados e, lamentavelmente, parte deles está ligada ao sofrimento de mais de seis milhões de almas que sempre depositaram grandes esperanças no desenvolvimento das suas capacidades em prol da melhoria das condições das populações de toda a zona Norte do país

12/12/2012 19:53:49

Sociedade civil não entende falta de alternativas à Barragem de Capanda

Pouco menos de cem dias depois de o novo Executivo tomar posse e  entrar em funções, um brutal “choque térmico” foi registado no   centro de tomada de decisões políticas,bem como na estratégia da implementação dos seus programas mais visíveis para que o “resto” do país acompanhe o quadro de desenvolvimento sócio-económico preconizado para os próximos tempos. Foi exactamente em Luanda onde se levantou uma série de dúvidas e incertezas em relação aos argumentos apresentados quanto aos constantes cortes na energia eléctrica ou as bárbaras restrições deste bem público. A maka meteu os cabelos em pé toda uma sociedade, interessada em saber, com o devido rigor, até quando manter-se-á a capital do país mergulhada num quadro de penumbra parcial, ora por obra da natureza, ora por uma suposta incompetência técnica e de gestão dos recursos disponíveis para fazer valer os bons créditos de um governo acabado de sair das eleições gerais de Agosto

12/12/2012 19:52:39

Sociedade civil não entende falta de alternativas à Barragem de Capanda

Pouco menos de cem dias depois de o novo Executivo tomar posse e  entrar em funções, um brutal “choque térmico” foi registado no   centro de tomada de decisões políticas,bem como na estratégia da implementação dos seus programas mais visíveis para que o “resto” do país acompanhe o quadro de desenvolvimento sócio-económico preconizado para os próximos tempos. Foi exactamente em Luanda onde se levantou uma série de dúvidas e incertezas em relação aos argumentos apresentados quanto aos constantes cortes na energia eléctrica ou as bárbaras restrições deste bem público. A maka meteu os cabelos em pé toda uma sociedade, interessada em saber, com o devido rigor, até quando manter-se-á a capital do país mergulhada num quadro de penumbra parcial, ora por obra da natureza, ora por uma suposta incompetência técnica e de gestão dos recursos disponíveis para fazer valer os bons créditos de um governo acabado de sair das eleições gerais de Agosto

12/12/2012 19:52:29

Sociedade civil não entende falta de alternativas à Barragem de Capanda

Pouco menos de cem dias depois de o novo Executivo tomar posse e  entrar em funções, um brutal “choque térmico” foi registado no   centro de tomada de decisões políticas,bem como na estratégia da implementação dos seus programas mais visíveis para que o “resto” do país acompanhe o quadro de desenvolvimento sócio-económico preconizado para os próximos tempos. Foi exactamente em Luanda onde se levantou uma série de dúvidas e incertezas em relação aos argumentos apresentados quanto aos constantes cortes na energia eléctrica ou as bárbaras restrições deste bem público. A maka meteu os cabelos em pé toda uma sociedade, interessada em saber, com o devido rigor, até quando manter-se-á a capital do país mergulhada num quadro de penumbra parcial, ora por obra da natureza, ora por uma suposta incompetência técnica e de gestão dos recursos disponíveis para fazer valer os bons créditos de um governo acabado de sair das eleições gerais de Agosto

12/12/2012 19:46:42

Fundo soberano de Angola inicia maratona com metas de crescimento

O Fundo Soberano de Angola (FSDEA), um novo fundo soberano de investimento, foi lançado oficialmente no passado mês de Outubro, em Luanda, e conta , desde já, com um pacote avaliado em cinco mil milhões de dólares, prevendo no quadro mais geral dos seus objectivos promover o desenvolvimento sócio-económico do país e criar património para as suas gerações futuras

10/12/2012 18:57:22

Algumas crianças vivem sob um regime ditatorial

Para melhor entender o drama das crianças que sofrem violência doméstica, contactamos o psicólogo e activista pelos Direitos Humanos, Félix Mizé, que começou por realçar que, nosso País a protecção contra as agressões no seio familiar foram reforçadas com a aprovação da Lei Contra a Violência Doméstica. “É importante o facto de termos legislação específica que não serve apenas para proteger as mulheres vítimas, mas também idosos e crianças”, frisou.

10/12/2012 18:55:37

O Executivo está a reforçar as medidas de protecção

A Directora-geral do Instituto Nacional da Criança, Ruth Mixinge, convidada a abordar a questão, começou por frisar que a situação da criança, em todo o país, tende a melhorar tendo em conta o esforço do executivo angolano em relação as medidas de protecção e a implementação de iniciativas que concorrem para que os mais novos possam desenvolver-se num ambiente de paz e de harmonia.

10/12/2012 18:41:42

Um problema que preocupa a sociedade

“Os meus irmãos mais velhos tratavam-me mal to- dos os dias. Muitas vezes amarravam-me numa árvore que estava no quintal e depois batiam-me com uma mangueira. Eu gritava, mas como só vivia com eles, ninguém me ajudava. Ficava aí a sangrar...”, este é o relato de Manuel, 13 anos, três dos quais passados na rua, que foi a única opção que encontrou para fugir da violência de que era alvo 

1 2 3 4

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital