País

 
30/04/2014 07:10:44

"O PÃO QUE O DIABO AMASSOU" OS CAMINHOS ESPINHOSOS DA PAZ

Durante mais de três décadas, Angola suportou o pesado fardo da guerra, com todas as suas terríveis consequências decorrentes.O seu tecido social foi estraçalhado sem dó nem piedade, o solo pátrio foi pisoteado por forças militares estrangeiras, as invasões militares constituíram sinais de retardamento da implementação de políticas seguras de reconciliação nacional, enfim, o país transformou-se num cenário em que os próprios nativos eram considerados como ``eternos deslocados de guerra``.Interessa, pois, fazer-se uma pequena cronologia dos acontecimentos políticos e militares para que se tenha uma ideia generalizada do que se passou para que, finalmente, o país se reencontrasse e abrisse os verdadeiros caminhos da paz, da democracia, da reconciliação nacional e do crescimento económico

30/04/2014 07:09:26

ANGOLA: DOZE ANOS DE PAZ FINALMENTE, ABREM-SE TRILHOS DA CONCÓRDIA E DO CRESCIMENTO!

Doze anos são passados desde que as partes em conflito armado violentíssimo acederam a acabar de uma vez por todas uma guerra que ceifou milhares de vítimas, arrancou dos lares milhões de cidadãos transformando-os em refugiados na sua própria terra

29/03/2014 09:36:04

...E FEZ-SE A MAIOR FESTA POPULAR DOS ANGOLANOS

Mais um capítulo da história da maior manifestação cultural de Angola fechou-se com a realização da trigésima-sexta edição do Carnaval, um evento que ocorreu num clima de paz, muitos ritmos e danças,que , segundo opinião geral, saíram melhor valorizadas durante os quatro dias consecutivos do entrudo em toda a extensão do território nacional.A população fez-se presente em massa, numa realização que,por enquanto, surge ainda sob a cobertura do cheque chorudo do Estado, aguardando-se, pacientemente, que certos sectores da sociedade civil considerada "elitista" se envolva para que, também ela, se reveja na maior riqueza que o país tem;o seu povo, a sua história, a sua cultura. De todo modo, o que interessa mesmo é que o Carnaval das grandes massas populares voltou a sair à rua, fez-se a festa do povo e, por alguns momentos, esqueceram-se as etapas mais difíceis que o país vive

29/03/2014 09:26:20

BELARMINO JELEMBI É DIRECTOR GERAL DA ADRA DEFENDE DIVERSIFICAÇÃO DA ECONOMIA ATRAVÉS DA AGRICULTURA

Belarmino Jelembi é Director Geral da Organização não Governamental Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA), há cerca de dois anos. 

29/03/2014 09:24:54

CENSO GERAL DA POPULAÇÃO: Pronto para arrancar

O dia "D" para que uma das maiores empreitadas que o governo angolano lançou para este ano está a chegar e da forma tão célere como o virar das páginas do calendário está a correr, em toda a extensão do território nacional acumulam-se mais certezas do que dúvidas de que será, sim, possível realizar-se o primeiro censo geral da população e habitação entre os dias 16 e 31 de Maio. Duzentos milhões de dólares é o montante que o Orçamento Geral do Estado dispõe para que se saiba, com algum rigor, quantos angolanos existem e como vivem num país com um território estimado em 1.246.700 km quadrados

01/03/2014 05:42:48

Negócios de sexo no Brasil: PROCESSO DE KANGAMBA EM MARÇO NA JUSTIÇA

Orientado pelos seus advogados no Brasil, Bento Kangamba, o tio Chico, tem a certeza de que a morosidade do seu processo no Brasil pode ter um fim por causa do tempo e por isso mostra segurança de que sairá impune mas por causa desssa situação ele está impedido de sair de Angola, não acompanhando, por exemplo, o seu Kabuscorp ao estrangeiro, agora que está engajado nas competições africanas

01/03/2014 05:41:25

CURVAS E CONTRA-CURVAS DA FAMA

Onde andam algumas estrelas que fizeram furor nas décadas de 80 e 90? No auge da fama eram presença constante na média, aclamados pelos fãs e requisitados constantemente. Na presente edição procuramos perceber o que mudou na vida de artistas, desportistas e políticos que andam longe dos holofotes

01/03/2014 05:39:33

Censo geral da população e habitação vai arrancar em Maio de 2014: VAMOS SABER QUANTOS SOMOS!

Foi em 1970 que, pela última vez, em Angola se realizou o censo geral da população e da habitação.Hoje, com um quadro absolutamente diferente num país que alcançou a sua independência em 1975, está em movimento uma máquina gigantesca que envolve meios humanos, técnicos e materiais,obviamente oleada por muitas dezenas de milhões de kuanzas.Trata-se de um desafio enorme que o governo tenta vencer a todo o custo, no sentido de, em linhas gerais, saber, de forma algo definitiva quantos somos, como vivemos e,numa perspectiva mais segura, conhecer o país real que temos para que este possa seguir o seu caminho em direcção ao desenvolvimento sócio-político e económico sustentável

28/01/2014 18:45:13

Grandes Lagos NOVA ESCALADA DE CONFLITOS

30/10/2013 08:54:16

Cuando Cubango VIRADA PARA O PROGRESSO

A província do Cuando Cubango ocupa hoje as primeiras páginas dos jornais em função do trabalho que alí se leva a cabo para dar vida a uma região de Angola com enormes potencialidades mas que durante muito tempo foi considerado terras do fim do mundo

02/08/2013 18:37:57

O BRILHO DOS DIAMANTES NÃO OFUSCA AS ASSIMETRIAS SOCIAIS DO PRESENTE

Figuras & Negócios esteve no Nordeste do País, mais precisamente na Lunda-Norte; uma das províncias do país consideradas, com um certo menosprezo, do “interior”. Alguns têm a ousadia de, inclusive, qualificá-la como se de (mais) um território da periferia se tratasse, enfim... Mas o país é único, indivisível e soberano quando o Executivo se reúne para, através do Orçamento Geral do Estado, distribuir os recursos financeiros; tudo, à partida, feito com bom senso para que não existam assimetrias abismais. Esta Lunda Norte, que gera riqueza, está como está. Melhor do que antes, lá isto é verdade. Todavia, muito há a  fazer para que ela brilhe como os seus diamantes. Na nossa próxima edição, daremos conta dos seus problemas, dos projectos que o governo local empreende e tenta a todo o custo implementar com a mais brevidade possível. A sua gente clama por um desenvolvimento rápido, equilibrado e roga que os tempos desta parcela do território nacional mudem. Por enquanto, eis o retrato possível da Lunda Norte de A a Z. ​

02/07/2013 17:21:52

Já não existem muitas zonas de conforto...

Aquilo que deduzimos que seja um mapa precioso para quem não deseja ser apanhado com as “calças na mão”

02/07/2013 17:19:12

Capital do país constrangida LUANDA EXIGE SONHOS MAIS TRANQUILOS

Já não são meros sinais rotineiros de alerta, nem algo que se pareça. As declarações públicas de alguns dos principais responsáveis pela Ordem Pública revelam, mais palavras menos palavras, que  a capital do país encontra-se mergulhada num poço de desconforto social evidente. Nada que se compare com outras cidades cosmopolitas, em crescimento económico acelerado, mas sente-se no ar um clima de certa resignação diante de tanta impunidade criminosa...
Não se anda por aí aos tiros de canhões ou aos  assaltos com cenários “hollywoodescos”. Todavia, diante de números e factos aterradores que engordam as estatísticas das esquadras policiais, das cadeias e dos quase invisíveis  centros de reeducação, é caso para se chegar à triste conclusão que Luanda, pelo menos em algumas das suas superfícies bem identificadas pelas autoridades, já não constitui um “lugar bom para se circular” de forma livre, protegida, como e quando se quer.

03/05/2013 09:02:17

Lunda Norte ILEGAIS INVADEM ZONAS DE EXPLORAÇÃO DE DIAMANTES

O governo da Lunda Norte prepara uma grande operação para repatriar os imigrantes ilegais que na Província invadem as reservas do Estado para a exploração ilegal de diamantes.

03/05/2013 09:00:47

ANTIGOS MILITARES CONTINUAM SEM DINHEIRO

Mais  de sessenta mil militares  angolanos desmobilizados há mais de vinte anos aguardam o pagamento dos seus salários ou o seu enquadramento na Caixa Social e no Instituto Nacional de Segurança Social (INSS). Qualquer um deles transmite sinais de descrédito nas instituições criadas pelo Estado angolano logo que se deu por terminada uma guerra em que passaram uma parte das suas vidas, de forma sacrificada, mas honrada.  No passado, cada um deles estava na sua trincheira, cumpriu com brio as ordens, quer fossem das hierarquias militares do Governo ou da Unita. Hoje, onze anos depois de se alcançar a paz, estão juntos numa batalha que pensam vencer de forma pacífica. Juntos, lutam pelos seus direitos. E juntos podem fazer alguns estragos, caso não resolvam os seus problemas

1 2 3 4

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital