País

 
26/12/2016 07:37:40

O TURISMO NA CRUZADA CONTRA DEPENDÊNCIA DO PETRÓLEO

Em 2020, poderá estar à vista a primeira fase de um projecto turístico avaliado em dois biliões e 680 milhões de dólares norte-americanos. A ousadia da empresa angolana Lucitur tem reservada uma área de 1000 hectares. Trabalhos preliminares, como a projecção da obra, a topografia e arruamentos terão consumido já USD 25 milhões

01/12/2016 19:01:33

ACTO CENTRAL DOS FESTEJOS NOVIDADE? QUASE POUCA OU NENHUMA…

No acto central dos festejos da independência, no Cuanza Norte, que  se pode perspectivar uma estratégia de exploração sustentável dos recursos florestais, de introdução de espécies exóticas de rápido crescimento e de reabilitação e instalação de perímetros comunitários, como os da Pamba e Kiangombe, e instalar um novo polígono da periferia de N’Dalatando.

01/12/2016 18:59:56

HISTÓRIA UM PERCURSO PENOSO…

O percurso de Angola foi terrível, até se chegar ao estádio em que está: num clima de paz, democrático algo reticente, pois parece não existir ainda a tão necessária tolerância política e reconciliadora. A elite política, nomeadamente aquela pertencente às duas gerações  que, deve-se reconhecer, soube conquistar a independência, continua de costas viradas. Cada um no seu refúgio de lustro ou, mesmo, nas trincheiras que se escusam em tapar  e enterrar de uma vez por todas. Vale recordar este trilho extremamente penoso, com as devidas ressalvas históricas:

01/12/2016 18:58:32

ANGOLA: CRISE ENSOMBRA FESTEJOS DOS 41 ANOS DE INDEPENDÊNCIA

Quatro décadas ficaram para trás e com elas vive-se ainda um sentimento de nostalgia, muitas incompreensões sobre o passado e, nesta fase difícil da sua vida como país independente e soberano, crescem inúmeras dúvidas  em relação ao futuro dos povos de uma nação que, para todos os efeitos, continua a ser ela mesma; nascida debaixo da violência de uma guerra que dizimou sonhos de milhões, mas que, ao mesmo tempo, produziu uma elite de milhares de milionários pouco interessada em meter as mãos à bolsa para colocar Angola no seu verdadeiro trilho

02/05/2016 07:15:26

ECONOMIA A DIVERSIFICAÇÃO TAMBÉM PASSA POR AQUI!

A grande novidade é a convergência destas três correntes da “nova economia política” o que nos permite (re)construir um paradigma e falar de uma economia a três dimensões (E3D) em que os factores imateriais são decisivos.


02/04/2016 17:21:59

ASSUNTO COMPLICADO: "S.O.S" COM BASE NA CRA

Num artigo intitulado “Os Aspectos Legais da Saída de Dos Santos”, Rui Verde, doutor em Direito, questiona: “Imaginemos por instantes que o presidente vitalício vai mesmo abandonar o cargo em 2018, ou porque quer, ou porque o anúncio que fez criou uma dinâmica própria inultrapassável. Quais são as possibilidades e consequências jurídicas? José Eduardo dos Santos (JES) ocupa dois cargos fundamentais: o de Presidente da República e o de Presidente do MPLA. Imaginemos que em 2018 JES continua a ocupar os dois cargos. Como sai deles e quais as consequências?

02/04/2016 17:14:54

O ADEUS É A SÉRIO?

Poucas horas depois de José Eduardo dos Santos comunicar ao país que vai abandonar a vida política activa, o país, como atiçado por um formigueiro, cujo veneno ainda se está por descobrir, reagiu. Nos bairros e nas cidades, nos musseques ou mesmo nas aldeias mais recônditas, não se falava de outra coisa. José Eduardo dos Santos, o Presidente de todos os angolanos, o homem que até então escusava-se em abordar um fim tão próximo da sua (brilhante) carreira, exercendo o cargo de Estado mais importante do país, anunciaria que,em 2018, colocaria ponto final a uma história de sucesso, algumas frustrações pelo meio, erros de maior ou menor monta para o sistema de governação em que ele próprio se sustentou, depois de um exercício de mais de trinta anos de poder absoluto

29/08/2015 09:06:38

ONDE ESTÁ A MASSA?

Directores da Build Brasil/Angola estão no Brasil livres, a viver bem com certa quantia de dinheiro no bolso e sem nada a explicar sobre o que fizeram em Angola

26/05/2015 14:38:06

Novo acordo ortográfico de 1990: Quem é que nos multa se não o usarmos?

A discórdia continua…
Há discussões mais interessantes do que tentar escrever algumas palavras do português aplicando o novo acordo ortográfico de 1990 que, na realidade apenas é utilizado por Portugal.

26/05/2015 14:24:16

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA PROVÍNCIA DE CABINDA MUDANÇA DE PARADIGMA PARA (RE)GANHAR O FUTURO!

Os Planos de Desenvolvimento Provinciais, a par do Plano Nacional de Desenvolvimento, são, necessáriamente, os principais documentos enquadradores e indutores do desenvolvimento, e daí revestirem-se de grande importância estratégica, não excluindo outras iniciativas, enquanto visão, metas e objectivos, que se esperam consubstanciados em planos de investimento/financiamento realistas, adequados e fazíveis no tempo e no espaço, tendo como “pano de fundo” o contexto em que devem ocorrer e os factores identificados ou inesperados, aleatórios ou percebidos/inseridos em cenários que procuram “futuros” desejáveis e/ou possíveis, nem sempre convergentes e compatíveis

24/04/2015 12:56:03

ClÍNICA MULTIPERFIL VENCE UMA ETAPA DE FORMAÇÃO

A Clínica Multiperfil acaba de promover o primeiro curso de pós-licenciatura de especialização em enfermagem médico-cirúrgica e enfermagem de saúde comunitária. Dezoito técnicos de saúde foram capacitados  numa acção formativa concluída com sucesso em Janeiro passado, aguardando-se que a instituição, criada a 8 de Dezembro de 2002, prossiga os seus objectivos como um hospital geral de referência no país, uma vez que possui quase todas especialidades das áreas médico-cirúrgicas, excepto a de cirurgia cardíaca

28/02/2015 20:15:24

SOCIEDADE CIVIL DESCRENTE… UM MILHÃO DE CASAS NÃO SERÃO PARA JÁ

28/02/2015 20:10:17

POLÍTICA HABITACIONAL SONHOS ADIADOS!

Quando o Presidente do MPLA, partido governante liderado por José Eduardo dos Santos, decidiu revelar no seu VI Congresso realizado em 2009, que “em cada 100 angolanos, cerca de 60 são  muito pobres, não conseguem comer normalmente todos os  dias, não sabem ler nem escrever, não têm acesso fácil  à água potável e aos cuidados primários de saúde, nem  casa normal para se abrigar”… não se tinha a noção de que três anos mais tarde, o rumo que o país haveria de tomar se modificaria radicalmente, com a realização das eleições gerais vencidas, de novo, pelo MPLA que no seu antigo projecto eleitoral despontaria aquele que seria um dos principais trunfos da sua campanha: a construção de 1 milhão de  fogos habitacionais, para além da adopção de medidas mais eficazes para garantir o primeiro emprego dos jovens e o acesso à habitação

24/01/2015 23:03:41

AS CASAS VIRARAM PÓ

Há oito anos o grupo Build era criado por empresários com má fama profissional no Brasil com a “intenção” de construir casas para todas as classes de Angola. Foi apenas um sonho que se tornou pesadelo

02/12/2014 15:11:56

“A UNIVERSIDADE ANGOLANA, NUMA ENCRUZILHADA EXIGENTE”

Em África, o Ensino Superior está essencialmente baseado em Universidades e é apoiado principalmente pelas autoridades públicas. Ele garante o desenvolvimento do capital humano de grande valor para os territórios

1 2 3 4

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital