Economia & Negócios

 
06/03/2017 12:11:39

AS TEIAS DO COLAPSO FINANCEIRO MUNDIAL

Enquanto responsáveis políticos, empresários, estudiosos ou meros cidadãos acompanhamos, com maior ou menor atenção, as peripécias associadas às “crises” financeiras que, desde 2008, agitam os mercados, as economias e as sociedades, num gigantismo que ninguém ficou incólume ou indiferente

01/02/2017 18:59:05

INTERVENÇÃO DO BCE ALVO DE PRESSÕES ALEMÃS

A economia da Zona Euro está a conhecer melhorias. Embora a progressão não seja global, o Ministro alemão das Finanças voltou a apelar aos responsáveis do Banco Central Europeu que moderem as operações de financiamento. A banca italiana merece agora maior atenção

01/02/2017 18:54:54

BODIVA EM ACÇÃO

Apesar dos avanços recentemente ocorridos no domínio da política de diversificação económica implementada com o surgimento da crise internacional, os resultados esperados não são ainda visíveis, por exigirem mobilização considerável de recursos humanos, tecnológicos e financeiros, e o incremento da curva de experiência nos segmentos das indústrias nascentes. Nesta perspectiva, a redução da dependência do sector petrolífero, está associada à combinação de três factores chave - diversificação da base produtiva nacional; diversificação das fontes de financiamento; fortalecimento do sector privado. Equacionar as três dimensões referidas, permitirá não só, criar riqueza, como também estender oportunidades aos cidadãos e às empresas de forma sustentada

26/12/2016 07:59:14

OMANGU YEYI!

“Omangu yeyi” é uma expressão em umbundo (uma das línguas nacionais angolanas) que significa “sente-se se faz favor”! É o que se me apraz dizer, porque a procissão ainda agora vai no adro, quando procuramos conjecturar o futuro de Angola: como e quando se ultrapassará a crise, esta crise associada à queda do preço do petróleo. Qual o papel que se aguarda/pretende no concerto das nações africanas? Mas, estaremos à altura? Ou temos de esperar sentados (nós e a próxima geração) para não nos cansarmos e viver o suficiente, para assistirmos ao advento da nova era, a era do pós-petróleo?

01/12/2016 19:18:57

SEGUNDO ESTUDO DA DELOITTE BANCA ANGOLANA RESILIENTE

Em 2015, o volume de activos agregado das instituições financeiras angolanas incluídas na 11ª edição do estudo1 Banca em Análise da Deloitte, lançada no início de Novembro, fixou-se nos 7.512 mil milhões de Kwanzas (AKZ). O resultado líquido total dos bancos em análise registou um crescimento de cerca de 19% no mesmo período, para os 116.512 milhões de AKZ2, valor que incorpora a valorização dos activos e passivos em moeda estrangeira ao câmbio oficial. Na posição relativa entre os cinco maiores bancos do mercado angolano1, o BPC continua a liderar a lista com um activo total de 1.339 mil milhões de AKZ, seguido pelo BFA, BAI, BIC e BPA. Os cinco maiores bancos representam 69% do total do activo dos bancos em estudo e o seu activo registou um aumento de 12% face ao ano anterior 

01/12/2016 19:17:10

BREXIT DOMINA A ECONOMIA EUROPEIA

O Eurostat revelou dados animadores da economia, quer no crescimento do PIB, quer no emprego. No entanto, o  organismo estatístico europeu reviu em baixa as perspectivas para 2017. A instabilidade criada com o processo de saída do Reino Unido deverá trazer constrangimentos e travar o investimento

01/12/2016 19:15:24

O CHOURIÇO, O PORCO E O RODÍZIO DO NOSSO ENDIVIDAMENTO!

Um pouco tempo antes do debate da Proposta de Orçamento Geral do Estado (OGE) 2017 (em curso), é conhecido um documento com a reprogramação macro-económico do Governo angolano, de Julho, onde se previa que a dívida pública do país atingisse, este ano, os 71,4% do PIB, chegando aos 67,3 mil milhões de dólares

01/12/2016 19:12:47

ECONOMIA ANGOLANA OS 41 ANOS DE INDEPENDÊNCIA

Há 41 anos, Angola tornou-se independente e alcançou um desenvolvimento económico, social e cultural capaz de a diferenciar no contexto africano

05/11/2016 12:32:37

DIAGNÓSTICOS DIFÍCEIS PARA A EUROPA

Os dados da instituição estatística europeia (Eurostat) e do Fundo Monetário Internacional (FMI) não mostram a mesma Europa. Dados de organismos nacionais mostram igualmente divergências. Ainda assim, o estado da economia do bloco não é alarmante.

05/11/2016 12:31:17

ECONOMISTA CARLOS LOPES DEVEMOS PENSAR ÁFRICA COM CONFIANÇA!

O economista da Guiné-Bissau, Carlos Lopes é um dos que se bate por um reposicionamento de África Secretário-Executivo da Comissão Económica para a África, organismo das Nações Unidas, catalisador de ideias e intelectual comprometido, Carlos Lopes conseguiu mobilizar os líderes políticos e económicos do continente em torno de três objectivos estratégicos: integração, industrialização e transformação e manutenção. Na hora do adeus, como Secretário Executivo de CEA,  ele concedeu uma breve entrevista na hora que se prepara para outros desafios onde a componente académica será muito forte e que Figuras & Negócios a reproduz:

05/11/2016 12:29:56

O PREÇO DOS ALIMENTOS E A SEGURANÇA ALIMENTAR

O ano 2008 foi um marco no tocante a crise alimentar, pois nunca houve em toda a história da humanidade um número tão elevado de pessoas com possibilidade de realizar três refeições ao dia, portanto, a procura de alimentos e o consumo de energia cresceram brutalmente, não havendo uma correspondente capacidade de resposta a nível da produção, gerando o défice de oferta de alimentos causando por esta via, o aumento do preço. 

02/10/2016 05:29:49

ECONOMIA EUROPEIA LEVA À CONTINUAÇÃO DA POLÍTICA DO BCE

O Banco Central Europeu vai continuar a investir os ganhos com os juros das obrigações que tem vindo a comprar. Uma política que irá prolongar-se até, pelo menos, 2020, de acordo com o governador do Banco da Holanda, Klaas Knot

02/10/2016 05:27:29

ESTADO DA ECONOMIA DE ANGOLA INDÍCIOS DE NOVO CICLO

A economia de Angola mesmo enfrentando uma série de constrangimentos de ordem económica derivados da fraca estrutura produtiva e da crise económica, também é a mais afectada pela situação actual devido ao peso excessivo do sector petrolífero no total da economia. No entanto, Angola mantém o registo como a segunda maior economia da zona austral

02/09/2016 07:03:03

EUROPA RESPIROU ANTES DO BREXIT

O desempenho da economia alemã, no segundo trimestre comparado com o primeiro, surpreendeu analistas e instituições, uma vez que foi o dobro do esperado. 

De França e Itália não vêm grandes alegrias. Melhor estiveram Espanha e Reino Unido. A economia do conjunto da Eurozona progrediu 0,3%, desacelerado dos 0,6%

02/09/2016 07:01:53

AJUSTAMENTOS À ECONOMIA

Como era previsto, o parlamento Angolano ajustou o Orçamento Geral do Estado (OGE) de 2016, começando por diminuir as previsões de crescimento do PIB de 3,3% para 2,69% devido à quebra nas receitas petrolíferas a nível internacional

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital