Economia & Negócios

 
26/12/2016 07:59:14

OMANGU YEYI!

“Omangu yeyi” é uma expressão em umbundo (uma das línguas nacionais angolanas) que significa “sente-se se faz favor”! É o que se me apraz dizer, porque a procissão ainda agora vai no adro, quando procuramos conjecturar o futuro de Angola: como e quando se ultrapassará a crise, esta crise associada à queda do preço do petróleo. Qual o papel que se aguarda/pretende no concerto das nações africanas? Mas, estaremos à altura? Ou temos de esperar sentados (nós e a próxima geração) para não nos cansarmos e viver o suficiente, para assistirmos ao advento da nova era, a era do pós-petróleo?

01/12/2016 19:18:57

SEGUNDO ESTUDO DA DELOITTE BANCA ANGOLANA RESILIENTE

Em 2015, o volume de activos agregado das instituições financeiras angolanas incluídas na 11ª edição do estudo1 Banca em Análise da Deloitte, lançada no início de Novembro, fixou-se nos 7.512 mil milhões de Kwanzas (AKZ). O resultado líquido total dos bancos em análise registou um crescimento de cerca de 19% no mesmo período, para os 116.512 milhões de AKZ2, valor que incorpora a valorização dos activos e passivos em moeda estrangeira ao câmbio oficial. Na posição relativa entre os cinco maiores bancos do mercado angolano1, o BPC continua a liderar a lista com um activo total de 1.339 mil milhões de AKZ, seguido pelo BFA, BAI, BIC e BPA. Os cinco maiores bancos representam 69% do total do activo dos bancos em estudo e o seu activo registou um aumento de 12% face ao ano anterior 

01/12/2016 19:17:10

BREXIT DOMINA A ECONOMIA EUROPEIA

O Eurostat revelou dados animadores da economia, quer no crescimento do PIB, quer no emprego. No entanto, o  organismo estatístico europeu reviu em baixa as perspectivas para 2017. A instabilidade criada com o processo de saída do Reino Unido deverá trazer constrangimentos e travar o investimento

01/12/2016 19:15:24

O CHOURIÇO, O PORCO E O RODÍZIO DO NOSSO ENDIVIDAMENTO!

Um pouco tempo antes do debate da Proposta de Orçamento Geral do Estado (OGE) 2017 (em curso), é conhecido um documento com a reprogramação macro-económico do Governo angolano, de Julho, onde se previa que a dívida pública do país atingisse, este ano, os 71,4% do PIB, chegando aos 67,3 mil milhões de dólares

01/12/2016 19:12:47

ECONOMIA ANGOLANA OS 41 ANOS DE INDEPENDÊNCIA

Há 41 anos, Angola tornou-se independente e alcançou um desenvolvimento económico, social e cultural capaz de a diferenciar no contexto africano

05/11/2016 12:32:37

DIAGNÓSTICOS DIFÍCEIS PARA A EUROPA

Os dados da instituição estatística europeia (Eurostat) e do Fundo Monetário Internacional (FMI) não mostram a mesma Europa. Dados de organismos nacionais mostram igualmente divergências. Ainda assim, o estado da economia do bloco não é alarmante.

05/11/2016 12:31:17

ECONOMISTA CARLOS LOPES DEVEMOS PENSAR ÁFRICA COM CONFIANÇA!

O economista da Guiné-Bissau, Carlos Lopes é um dos que se bate por um reposicionamento de África Secretário-Executivo da Comissão Económica para a África, organismo das Nações Unidas, catalisador de ideias e intelectual comprometido, Carlos Lopes conseguiu mobilizar os líderes políticos e económicos do continente em torno de três objectivos estratégicos: integração, industrialização e transformação e manutenção. Na hora do adeus, como Secretário Executivo de CEA,  ele concedeu uma breve entrevista na hora que se prepara para outros desafios onde a componente académica será muito forte e que Figuras & Negócios a reproduz:

05/11/2016 12:29:56

O PREÇO DOS ALIMENTOS E A SEGURANÇA ALIMENTAR

O ano 2008 foi um marco no tocante a crise alimentar, pois nunca houve em toda a história da humanidade um número tão elevado de pessoas com possibilidade de realizar três refeições ao dia, portanto, a procura de alimentos e o consumo de energia cresceram brutalmente, não havendo uma correspondente capacidade de resposta a nível da produção, gerando o défice de oferta de alimentos causando por esta via, o aumento do preço. 

02/10/2016 05:29:49

ECONOMIA EUROPEIA LEVA À CONTINUAÇÃO DA POLÍTICA DO BCE

O Banco Central Europeu vai continuar a investir os ganhos com os juros das obrigações que tem vindo a comprar. Uma política que irá prolongar-se até, pelo menos, 2020, de acordo com o governador do Banco da Holanda, Klaas Knot

02/10/2016 05:27:29

ESTADO DA ECONOMIA DE ANGOLA INDÍCIOS DE NOVO CICLO

A economia de Angola mesmo enfrentando uma série de constrangimentos de ordem económica derivados da fraca estrutura produtiva e da crise económica, também é a mais afectada pela situação actual devido ao peso excessivo do sector petrolífero no total da economia. No entanto, Angola mantém o registo como a segunda maior economia da zona austral

02/09/2016 07:03:03

EUROPA RESPIROU ANTES DO BREXIT

O desempenho da economia alemã, no segundo trimestre comparado com o primeiro, surpreendeu analistas e instituições, uma vez que foi o dobro do esperado. 

De França e Itália não vêm grandes alegrias. Melhor estiveram Espanha e Reino Unido. A economia do conjunto da Eurozona progrediu 0,3%, desacelerado dos 0,6%

02/09/2016 07:01:53

AJUSTAMENTOS À ECONOMIA

Como era previsto, o parlamento Angolano ajustou o Orçamento Geral do Estado (OGE) de 2016, começando por diminuir as previsões de crescimento do PIB de 3,3% para 2,69% devido à quebra nas receitas petrolíferas a nível internacional

02/09/2016 07:00:28

ZONA ESPECIAL DE LUANDA E BENGO INVESTIR NA PRIVATIZAÇÃO!

A Economist Intelligence Unit (EIU) considera que a venda de 53 unidades industriais na Zona Económica Especial Luanda-Bengo (ZEELB) vai gerar dinheiro a curto prazo e diminuir as despesas, mas afectará as receitas dos arrendamentos de longa duração

28/07/2016 08:01:55

PORTUGAL E ESPANHA MANTÉM-SE AS DÚVIDAS QUANTO A SANÇÕES

Só após 27 de Julho se saberá se Portugal e Espanha vão conhecer a sentença, dos parceiros europeus, quanto à ultrapassagem do limite de 3% de défice orçamental. Até essa data, os dois países têm de apresentar argumentos que convençam os dirigentes comunitários. Instabilidade num momento em que o bloco conhece o seu momento mais complicado, com a saída do Reino Unido.

28/07/2016 07:59:54

MICROFINANÇAS E MERCADO INFORMAL: O PARADIGMA PERFEITO?

Padrões de Consumo. Dois mil milhões de dólares circulam (circulavam) no mercado informal. Em Angola, o peso do sector informal na economia é grande, sendo que os últimos relatórios publicados por organizações internacionais como as Nações Unidas e o Banco Mundial mostram que os rendimentos de mais de 60% da população angolana provêm directamente do sector informal, que representa uma média de 43,6% do Produto Interno Bruto (PIB), de acordo com dados de 1999 a 2007, sendo que este valor está a crescer e é dos mais elevados. Mesmo com as isenções aplicadas às actividades mais precárias, um imposto de sociedade de 35%, que se situa entre os mais elevados do mundo, constitui-se num entrave para a formalização da actividade económica

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital