África

 
24/10/2014 13:54:02

R.CENTROAFRICANA E R.D.CONGO CATHERINE JUSTIFICA DINHEIRO ANGOLANO E KABILA QUER “BISAR” NO PALÁCIO

Instada a demitir-se, a actual presidente de transição centroafricana, Catherine Samba-Panza, enfrenta a crise política e uma nova vaga de violência gerada por cristãos contra muçulmanos. Enquanto procura justificar, sem convencer os cidadãos, o descaminho da ajuda financeira de Angola, Panza solicita fundos aos outros países produtores do petróleo, no Golfo, entre os quais Arábia Saudita. Em Kinshasa, Joseph Kabila insiste em modificar a constituição a fim de beneficiar de mais um mandato. A intenção poderá desencorajar investidores estrangeiros devido ao temor de um regresso à instabilidade geral no país, já que grupos armados aproveitam o contexto: os extintos tentam recompor-se e os chamados rebeldes ugandeses da ADF-Nalu investem em ataques na região de Nord-Kivu  

25/09/2014 16:49:29

ESCÓCIA O REINO CONTINUA REINO UNIDO

Os escoceses decidiram manter a nação integrada no Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte. O «Não» à independência alcançou 55,3% dos votos. O resultado do «Sim» (44,70%) fica aquém das expectativas, pois as sondagens davam um empate técnico. O Tratado da União, datado de 1707, mantém-se em vigor. Ainda assim, a Escócia obteve concessões de poder por parte do Governo britânico.

Os mercados de capitais europeus abriram em alta, descomprimindo do clima de incerteza quanto ao resultado. A grande maioria dos economistas e analistas de mercados apontavam para perdas económicas na Escócia, no Reino Unido e na União Europeia

25/09/2014 16:47:31

SEGUNDO FÓRUM BRASIL-ÁFRICA: ÁFRICA ESTÁ NA MODA!

A União Africana lançou também, em 2010, o Programa de Desenvolvimento de Infra-estruturas em África - PIDA, cujo principal objectivo é promover o desenvolvimento sócioeconómico e a redução da pobreza no continente através da melhoria do acesso às redes de infra-estruturas regional e continental.

31/07/2014 11:00:30

GUINÉ-BISSAU REGRESSA À NORMALIDADE OS GRANDES DESAFIOS DO NOVO PODER DEMOCRÁTICO

A República da Guiné-Bissau (RGA) está a viver um momento particular da sua história com o seu regresso à normalidade constitucional. As novas autoridades saídas das últimas eleições enfrentam agora o grande desafio de a tirar da «situação de caus económico» em que foi votada com o golpe de estado de Abril de 2012 e reformar o sistema de defesa e segurança para garantir a estabilidade político-democrática do país, que já foi considerado o primeiro Narco-Estado de África. O triunvirato do PAIGC composto pelo Chefe de Estado (José Mário Vaz), presidente da Assembleia Nacional Popular (Cipriano Cassamá) e Primeiro-ministro (Domingos Simão Pereira) estabelece como prioridade das prioridades lutar contra a pobreza, relançar a economia, «institucionalizar uma cultura de tolerância zero e de combate à corrupção» e salvaguardar a unidade nacional e paz como factores essenciais para consolidar a democracia multipartidária na pátria de Amílcar Cabral.

31/07/2014 10:21:21

CONGO DEMOCRÁTICO KABILA COM PODER AMEAÇADO

No Congo Democrático, Joseph Kabila sofre pressão da classe política, da igreja católica e sociedade civil que o convidam a abandonar o poder ao fim do mandato e na véspera das eleições previstas para 2016. O assalto ao quartel Colonel Tshatshi, no coração de Kinshasa, é um sinal negativo que pode ser o começo da ameaça directa ao poder instalado.

31/07/2014 10:19:35

REPÚBLICA CENTRO AFRICANA DESTINO INCERTO

O cessar-fogo assinado em Brazzaville pelos beligerantes centroafricanos abre espaço para a reconciliação, mas contradições manifestadas pelas lideranças alimentam suspeitas de um processo longo e complexo. Por exemplo, o ex-chefe de Estado centroafricano autoproclamado (em março 2013), Michel Djotodia, apoiado por seguidores, viu-se eleito, a 11 de Julho, à cabeça das milícias séléka. O facto ameaça redesenhar o já conturbado cenário socio-político e militar do país.

31/07/2014 09:59:01

ECONOMIA CRIATIVA ALTERNATIVA DE DESENVOLVIMENTO

Para enfrentar os desafios de desenvolvimento do continente, os africanos devem contar com os seus próprios recursos e valores culturais dinâmicos
Nelson Mandela

02/07/2014 19:46:12

CABO VERDE CARLOS LOPES FALA E AGITA CONSCIÊNCIAS

O Secretário-Geral Adjunto da ONU para a África, o guineense Carlos Lopes, esteve em em Cabo Verde no II Fórum Nacional de Transformação, onde apontou as três questões que considera fracturantes para o arquipélago: uma democracia polarizada e lenta a tomar decisões, um excesso de tradição jurídica e os perigos da descentralização desmedida. Criticou ainda excessiva “ancoragem” a uma Europa em crise, encorajando uma viragem “pragmática” para África

02/07/2014 19:43:58

CABO VERDE QUER ACOLHER PLATAFORMA LOGÍSTICA DE ANGOLA PARA CEDEAO

Resultado da recente visita a Angola do Primeiro-Ministro de Cabo-Verde, José Maria Neves e do seu encontro com o Presidente José Eduardo dos Santos, a parceria económica entre Angola e Cabo-Verde vai conhecer um momento alto, a partir de Julho próximo, com a meta de, criação de uma Plataforma Logística de produtos e serviços angolanos numa das ilhas de Cabo Verde, que serão exportados para o vasto mercado da África Ocidental, constituído actualmente por cerca de 400 milhões de habitantes e detentor de uma produção superior a 270 biliões de USD

02/07/2014 19:42:51

GUINÉ-BISSAU UMA OUTRA ERA

31/05/2014 16:08:48

AFONSO DHLAKAMA, LÍDER DA RENAMO "MANDEI CESSAR FOGO QUERO PAZ EM MOÇAMBIQUE"

Em entrevista exclusiva à radio DW África,da Alemanha, o líder da RENAMO Afonso Dhlakama diz que falta boa vontade da FRELIMO nas negociações e que sentiu "pena" das Forças Armadas moçambicanas na Gorongosa e que tropas que o atacaram são "exército pessoal" da FRELIMO.

Na entrevista concedida por telefone à DW África que retomamos, na esteira de tentar compreender o que fez estalar o verniz paz naquele País irmão, Afonso Dhlakama, líder da Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO), debita, como era de esperar, fortes críticas a Frelimo e ao seu líder Armando Guebuza,  mas quanto ao futuro do País ele garante  que a actual segunda maior força da oposição moçambicana tem muito interesse em acabar com os confrontos militares. Ele acredita  que as eleições gerais de Outubro próximo irão, de facto, acontecer mas deixa claro que  o governo da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO), deve também colaborar.

Neste momento, por exemplo, está sobre a mesa de negociações entre as partes a composição do exército nacional e o desarmamento da RENAMO, considerado um dos pontos mais críticos do diálogo.

31/05/2014 16:07:14

CANDIDATO DO PAIGC VAI PRESIDIR A GUINÉ-BISSAU

31/05/2014 16:05:50

NIGÉRIA AS CATIVEIRAS DE BOKO HARAM

Na Nigéria, o grupo Boko Haram sequestrou 276 adolescentes para escravizá-las ou vendê-las a líderes tribais, respaldado pela interpretação literal do Corão e desafia a comunidade Internacional que se manifesta a exigir a liberdade dos reféns.

31/05/2014 16:04:43

ÁFRICA PASTO DAS CONTRADIÇÕES GLOBAIS

29/03/2014 09:47:50

COOPERAÇÃO ANGOLA E CABO VERDE O LIMITE É O CÉU

Cabo Verde nasceu insular e atlântico, lusófono e africano. Hoje, membro de pleno direito da União Africana e da CEDEAO.

1 2 3 4 5 6 7 8

Copyright © Figuras & Negócios - Todos os direitos reservados strong>

Contato
Home
Acervo Digital